Início

Home

Close
  • Professores trocam experiências sobre educação em cidadania digital em evento da Safernet

    / / Segurança Digital / Por admin / 4 meses 42 minutos atrás

    Dois professores de filosofia do ensino médio, ela em uma pequena cidade do litoral norte catarinense, ele em uma escola rural do sul de MG, e um professor de matemática do fundamental II no sertão baiano. Aparentemente, os três teriam pouco ou nada em comum, mas um problema os uniu - a necessidade de dotar seus alunos de conhecimentos sobre o uso seguro e consciente da internet. 

    As respostas para o problema começaram a aparecer quando os três conheceram a Disciplina de Cidadania Digital da Safernet, criada pela Safernet em parceria com o governo do Reino Unido a partir do Programa de Acesso Digital, uma iniciativa britânica implementada em vários países do mundo. Até o momento, a disciplina alcançou 11.018 estudantes, de 157 escolas, em 117 cidades de 13 estados pelo país. 

    Em 26 estados, 1.172 professores estão fazendo o curso Segurança e Cidadania Digital em Sala de Aula e os que concluírem a formação estão preparados para ministrar a disciplina ano que vem, utilizando um caderno de aulas criado pelo projeto para que as escolas possam efetivar a competência geral 5 da Base Nacional Comum Curricular. 

    A competência prevê que, no ensino fundamental e no ensino médio, as escolas tenham aulas que discutam o uso crítico, significativo, reflexivo e ético das tecnologias digitais, formando cidadãs e cidadãos que também estejam preparados para os desafios que existem atualmente nas redes. Dados da Pesquisa TIC Educação 2022 (Cetic.br/NIC.br) apontam, no entanto, que tem diminuído o número de professores com acesso à formação continuada para fazer dessa competência uma realidade das escolas.

    E os êxitos frente aos desafios foram tantos que a professora Nilva Maria Sbruci de Souza, de Itapoá (SC) e os professores Cleber Marinho da Cruz, de Brazópolis (MG) e Dyogenys Alves Andrade, de Sobradinho (BA), foram convidados pela Safernet para compartilhar suas experiências no Seminário “Educação que Transforma: políticas públicas e formação para a cidadania digital”, realizado na Embaixada do Reino Unido em Brasília, no último dia 29 de novembro. 

    Educação que transforma 

    Desafios e êxitos

    O primeiro desafio que Nilva e Dyogenys tiveram foi de infraestrutura. Na Escola Estadual Nereu Ramos, em que ela trabalha, a única do município, não há laboratório de informática. Já na Escola de Gestão Compartilhada Maria José de Lima Silveira, em Sobradinho, há uma sala para este fim, mas os computadores só serão instalados ano que vem. 

    “Foi um desafio enorme; Não temos laboratório de informática, mas temos o novo ensino médio. Contudo, o caderno da Safernet apresenta alternativas para adaptar as atividades, aí eu fui adaptando e contando com a ajuda dos alunos e seus smartphones, que hoje são microcomputadores. Eles foram gostando, pois são temas atuais, temas da realidade deles”, contou Nilva, que dá aula de Cultura Digital para 4 turmas do 2º ano do Ensino Médio, com 106 alunos ao todo. 

    Outro desafio, conta Nilva, foi o questionamento inicial dos alunos se aquele conhecimento seria útil para o Enem ou para os vestibulares, foco principal dos estudantes do ensino médio, o que foi superado pelos temas das aulas: situações vividas no dia a dia dos estudantes na Internet, como o impacto das relações online no bem-estar e saúde emocional, além dos desafios para o respeito e empatia nas redes, por exemplo. 

    Para Dyogenys, professor de matemática, foi desafiador apresentar para 119 alunos do 8º e 9º anos do fundamental os temas da disciplina, mas ele também afirma que o caderno e os cursos da Safernet “fizeram com que esse trabalho desafiador parecesse mais fácil”. 

    Segundo o professor, que mora em Petrolina (PE) e viaja mais de 50 km para dar aula, também foi desafiador explicar o conceito de empatia nas redes, que era algo que os alunos não conheciam até então e que foi trabalhado em um projeto especial. 

    Um dos sucessos do uso do material da Safernet foi a sua flexibilidade. No evento em Brasília, ele contou que abriu o curso com o tema ciberbullying e bullying, pois havia uma forte demanda na escola. 

    Já Cleber é professor da Escola Estadual Dino Ambrósio Pereira, no distrito de Bom Sucesso da Mantiqueira, na zona rural de Brazópolis, sul de Minas Gerais. O primeiro desafio que ele teve foi o de “encaixar” as aulas de Cidadania Digital nas quatro disciplinas que ele leciona para seus 48 alunos, distribuídos em duas turmas, uma do primeiro ano do médio e outra do segundo ano: filosofia, ciências humanas e sociais aplicadas, projeto de vida e tecnologia e inovação. 

    “A gente integrou as disciplinas para trabalhar esse tema e discutir ciberbullying, fake news, o posicionamento cidadão do aluno na internet”, contou Cléber. 

    Uma das metodologias empregadas pelo professor, prevista no caderno de aulas da Safernet, foi o da sala de aula invertida, na qual o tema é proposto pelo professor, um grupo de alunos pesquisa o tema da aula e dá a aula para os demais colegas, com aportes feitos por Cleber em sala. “Isso faz com que o aluno seja protagonista no seu processo de aprendizado”. 

    Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023

    Boas práticas em sala de aula, como as apresentadas por Cléber, Dyogenys e Nilva, poderão ser premiadas. A Safernet lançou mês passado o Prêmio Cidadania Digital em Ação, cujas inscrições foram prorrogadas até 7 de janeiro. 

    Educadores das 157 escolas que aplicaram a Disciplina de Cidadania Digital da Safernet podem inscrever as ações criadas por seus alunos a partir dos recursos sugeridos no módulo 5 do caderno de aulas, que propõe que os próprios estudantes criem intervenções socioculturais para mobilizar suas escolas, famílias e comunidades nos tópicos de privacidade, bem-estar digital, combate a violências e educação midiática. Ações como eventos, gincanas, criação de conteúdos digitais e impressos, e intervenções artísticas, são algumas das possibilidades.

    Serão 3 equipes premiadas, e os estudantes receberão medalhas, certificados, um troféu para a escola e prêmios (leitor de livros digitais, pulseira inteligente ou fone de ouvido bluetooth). Além disso, cada equipe poderá enviar 2 representantes, um educador e um estudante, para participar, com todos os custos pagos, da, cerimônia de premiação em São Paulo, no dia 6 de fevereiro de 2024, durante o Dia da Internet Segura — iniciativa global que, no Brasil, é coordenada pela ONG Safernet Brasil desde 2009.

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

    Saiba mais

    Conheça a Disciplina de Cidadania Digital da Safernet. 

    Professor, faça o curso EAD e leve a disciplina para sua escola

    Conheça o Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023

    Perdeu o seminário Educação que Transforma? Veja como foi. Veja fotos do evento

    Veja reportagem da TV Brasil sobre o evento. 

    Matéria publicada em 14/12/2023

  • Da política pública à sala de aula, Cidadania Digital é tema de debate em Brasília

    / / Segurança Digital / Por admin / 4 meses 2 semanas atrás

    A Safernet e a Embaixada do Reino Unido no Brasil realizam dia 29 de novembro, em Brasília, o seminário “Educação que transforma: políticas públicas e formação para a cidadania digital”, que discutirá como a educação para o uso seguro e consciente da internet traz benefícios não apenas para quem recebe essa formação nas escolas, mas para toda a sociedade. 

    As organizações são parceiras no projeto da Disciplina de Cidadania Digital, lançado em fevereiro deste ano e que já beneficia quase 11 mil estudantes de ensino fundamental e médio, de 151 escolas, em 12 estados e 116 municípios brasileiros. 

    No segundo semestre, o projeto lançou um curso EAD para professores, para que educadores conheçam a disciplina e seu caderno de aulas. No momento, o curso tem 1116 profissionais de educação matriculados em todo o país. O projeto conjunto da Safernet e do governo do Reino Unido integra o Programa de Acesso Digital, uma iniciativa britânica implementada em vários países do mundo. No Brasil, o projeto da Disciplina de Cidadania Digital foi iniciado em 2021 com objetivo de contribuir para a segurança cibernética de adolescentes e professores do Ensino Médio e dos anos finais do Ensino Fundamental a partir da educação, apoiando escolas e redes de ensino.

    Na disciplina, a Safernet apoia diretamente os professores, que fazem um curso de formação e recebem um caderno de aulas completo com atividades que podem ser realizadas com estudantes.

     

    “O uso seguro da internet é fundamental, principalmente devido ao grande aumento no uso de internet por crianças e adolescentes. A parceria com a Safernet Brasil tem se mostrado importante para que o uso seguro e consciente das tecnologias seja parte da educação dos adolescentes, contribuindo para um ambiente online mais seguro para todos e para o desenvolvimento responsável das tecnologias digitais”, afirma Melanie Hopkins, Vice-Embaixadora do Reino Unido no Brasil.

    Durante o evento, que será realizado na Embaixada do Reino Unido, em Brasília, serão discutidos com especialistas da sociedade civil e academia, representantes de secretarias de educação, educadores e formuladores de políticas públicas, estratégias para que a segurança e a cidadania digital se tornem parte permanente das agendas na educação e direitos humanos. O evento tem vagas limitadas para convidados e a imprensa pode se credenciar. O seminário poderá ser acompanhado ao vivo no Youtube da Safernet Brasil.

    “Esta iniciativa dialoga diretamente com a realidade das escolas brasileiras. Ciberbullying, exposição de conteúdos íntimos e golpes online são alguns dos tópicos que a Safernet mais recebe pedidos de apoio em seu Canal de Ajuda, e o número de novas denúncias com imagens de abusos e exploração sexual infantil na Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos aumentou quase 79% nos primeiros dez meses de 2023, na comparação com o mesmo período de 2022. É urgente que as redes de ensino e as escolas recebam apoio para que a competência geral da Base Nacional Comum Curricular que trabalha a cultura digital e o uso consciente e seguro das tecnologias seja uma realidade na sala de aula. Os resultados da disciplina têm sido muito promissores, com adolescentes e professores preparados para lidar com segurança, privacidade, educação midiática, bem-estar, saúde emocional e prevenção a violências online”, explica Thiago Tavares, presidente da Safernet Brasil.

     

    Painéis temáticos

    Após a abertura do evento, às 9h, com falas da Vice-Embaixadora do Reino Unido no Brasil, Melanie Hopkins, e do presidente da Safernet Brasil, Thiago Tavares, o seminário terá cinco painéis temáticos. 

    Às 9h30, representantes do Ministério da Educação, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania participarão do Painel 1: “Cidadania digital como agenda nacional: ampliando e integrando esforços para a educação e os direitos humanos”. 

    O painel 2 começará às 10h30 e tratará do tema: “Fortalecendo uma cultura de segurança e cidadania digital nas redes de ensino”. Este bloco trará gestores de educação de Santa Catarina e Minas Gerais, respectivamente, estados nos quais a disciplina de Cidadania Digital está presente em 72 escolas. 

    Às 11h50, no Painel 3, “Educação que transforma: experiência de professores”, três professores, de Santa Catarina, Minas Gerais e Bahia, trocarão informações de boas práticas com a disciplina em sala de aula. 

    O Painel 4, às 14h20, “Educação para cidadania digital como estratégia de prevenção à criminalidade cibernética” trará representantes da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Ministério da Justiça e Segurança Pública para debater sobre como a cidadania digital em sala de aula contribui na prevenção de crimes cibernéticos. 

    Por fim, às 15h20 começa o Painel 5: “Conectividade significativa e habilidades digitais: caminhos para a inclusão”, no qual especialistas do Ministério das Comunicações, da Agência Nacional de Telecomunicações, do Cetic.br/NIC.br e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo tratarão da importância das habilidades digitais para o uso consciente e crítico das tecnologias. 

    Confira abaixo a programação completa do evento e clique AQUI para a transmissão online. 

     

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

     

    Embaixada do Reino Unido

    A Embaixada do Reino Unido é a principal missão no país responsável pelas relações bilaterais entre o Reino Unido e o Brasil.

     

    Mais informações para a imprensa:

    Safernet Brasil

    Marcelo Oliveira 

    Assessor de Imprensa

    11-98100-9521

    Embaixada do Reino Unido

    Adriana Masetti

    Diretora-Adjunta de Comunicação e Diplomacia Pública

    (11) 9 8247-9382

     

    PROGRAMAÇÃO COMPLETA

    9h - 9h30: Abertura

    - Melanie Hopkins (Vice-Embaixadora do Reino Unido no Brasil)

    - Thiago Tavares (Presidente da Safernet Brasil)

     Abertura do evento 

    9h30 - 10h30: Painel 1 - Cidadania digital como agenda nacional: ampliando e integrando esforços para a educação e os direitos humanos

    - Anita Gea Martinez Stefani (Diretora de Apoio à Gestão Educacional da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação)

    - Mariana Filizola (Coordenadora-geral de Educação Midiática da Secretaria de Políticas Digitais da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República)

    - Márcia Lucena (Coordenadora Geral de Educação em Direitos Humanos e Mídias Digitais no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania)

    - Mediação: Thiago Tavares (presidente da Safernet Brasil)

     Painel 1 

    10h30 - 11h20: Painel 2 - Fortalecendo uma cultura de segurança e cidadania digital nas redes de ensino

    - Renata Abranches (Coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional da Superintendência Regional de Ensino de Itajubá, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais)

    - Lauro Roberto Lostada (Coordenador de Tecnologias Educacionais da Gerência do Ensino Médio e Profissional da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina)

    - Mediação: Isabella Ferro (Assistente de projetos na Safernet Brasil)

     Painel 2 

    11h50 - 12h50: Painel 3 - Educação que transforma: experiência de professores

    - Prof. Cleber Marinho da Cruz (Professor de Filosofia, ministra o componente curricular eletivo de Cultura Digital na Escola Estadual Dino Ambrósio Pereira, em Brasópolis-MG, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais)

    - Prof. Dyogenys Alves Andrade (Professor do componente curricular eletivo de Cidadania Digital na Escola de Gestão Compartilhada Maria José de Lima Silveira, em Sobradinho-BA, Secretaria Municipal de Educação de Sobradinho-BA)

    - Prof. Nilva Maria Sbruci de Souza (Professora de Filosofia, ministra o componente curricular eletivo de Cultura Digital na Escola de Educação Básica Nereu Ramos, em Itapoá-SC, Secretaria de Educação de Santa Catarina)

    - Mediação: Bianca Serrão (Psicóloga na Safernet Brasil)

     Painel 3 

    14h20 - 15h20: Painel 4: Educação para cidadania digital como estratégia de prevenção à criminalidade cibernética

    - Carlos Eduardo Miguel Sobral (Coordenador Geral da DIOP/SENASP, responsável pela operação Escola Segura, Ministério da Justiça e Segurança Pública)

    - Stenio Santos Souza (Delegado da Diretoria de Crimes Cibernéticos da Polícia Federal em Brasília)

    - Priscila Costa Schreiner (Procuradora Regional da República do Ministério Público Federal)

    - Mediação: Victor Grampa (Educador e jurista)

     Painel 4 

    15h20 - 16h20: Painel 5: Conectividade significativa e habilidades digitais: caminhos para a inclusão digital

    - Maximiliano Martinhão (Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações)

    - Cristiana Camarate (Superintendente de Relações com Consumidores na Agência Nacional de Telecomunicações)

    - Fabio Storino (Coordenador da Pesquisa TIC Domicílios, no Cetic.br/NIC.br)

    - Ecivaldo Matos (Professor Titular da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, USP, e Pesquisador Associado do Centro de Estudos Afro Orientais, CEAO e do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da Universidade Federal da Bahia, UFBA)

    Mediação: Guilherme Alves (Gerente de Projetos na Safernet Brasil)

     Painel 5 

    16h20 - 16h30: Encerramento


    Matéria publicada em 23/11/2023

  • Safernet apresenta índice de palavras que ajudará o mundo a combater produção e difusão de imagens de abuso sexual infantil

    / / Crimes na Web / Por admin / 4 meses 3 semanas atrás

    A ONG brasileira Safernet Brasil apresentou em Paris no último dia 8 de novembro o primeiro conjunto de dados do projeto Discover, de desenvolvimento de tecnologias de prevenção ao abuso sexual infantil online. 

    Trata-se de um conjunto de 963 palavras-chave em português, inglês e acrônimos (siglas, abreviações, palavras codificadas ou com erros propositais de ortografia ou digitação) usadas por predadores sexuais ao organizar, divulgar, compartilhar ou trocar imagens de abuso e exploração sexual infantil e ou na tentativa de aliciar crianças e adolescentes a produzirem esses conteúdos. 

    O conjunto de palavras-chave foi pesquisado pela Safernet num universo de 100 mil textos associados a páginas e conteúdos com imagens de abuso e exploração sexual infantil em páginas denunciadas à ONG. 

    “Esses 963 termos foram coletados durante o processamento das denúncias de imagens de abuso e exploração sexual infantil realizadas pela Safernet no Brasil ao longo dos últimos anos. Essa indexação faz parte do Projeto Discover, e nosso objetivo é que possa ser aproveitado pela comunidade internacional”, explica o presidente da Safernet, Thiago Tavares. 

    O projeto Discover, da Safernet, é financiado pelo fundo SafeOnline. A Safernet foi uma das vencedoras de um edital da organização em 2021 e tornou-se a primeira instituição latino-americana a obter recursos desse fundo. 

    Apresentação em Paris

    As palavras-chave foram apresentadas por Tavares em reunião técnica de especialistas do mundo todo, convidados pelo fundo SafeOnline, We Protect e Governo Francês, em uma das oficinas do evento “Safe digital futures for children: data for change” (“Futuros digitais seguros para crianças: (uso de) dados para a mudança”, realizado nos dias 8 e 9 de novembro, na capital francesa. 

    A SafeOnline, We Protect e o Governo Francês lançaram durante o evento a iniciativa Laboratório para a Proteção da Criança Online

    No Brasil, a cada hora 6 crianças ou adolescentes são vítimas de violência sexual (Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2023) e 1 em cada 7 crianças em idade escolar no Brasil sofreu algum tipo de abuso sexual em sua vida (Pesquisa Pense, IBGE, 2019). No Brasil, 92% das crianças entre 9 e 17 anos usam a Internet todos os dias, e essas crianças estão passando cada vez mais tempo conectadas e têm acesso cada vez mais cedo a diferentes dispositivos, geralmente sem supervisão dos pais, conforme demonstrado pela pesquisa Tic Kids Online 2023 (CETIC.br).

    Como as palavras ajudarão a detectar conteúdo criminoso?

    Usando as palavras-chaves, a indústria, autoridades e pesquisadores selecionados poderão treinar algoritmos de aprendizado por máquinas (machine learning), e aperfeiçoar sistemas de detecção baseados em heurísticas de busca por esses termos. Somadas, essas medidas ajudarão na detecção de conteúdos ilegais e de seus propagadores. O trabalho realizado em busca de imagens ilegais contribuirá para que vítimas também sejam localizadas e identificadas de forma mais rápida, agilizando o combate ao abuso e à exploração sexual no Brasil e em outros países. 

    Por conceito, heurísticas são padrões comuns de texto ou palavras-chave que podem ser típicos de uma determinada categoria de violação de política.

    Conteúdos detectados por heurísticas geralmente são revisados por moderadores de conteúdo humanos antes que uma ação seja tomada sobre o conteúdo. Heurísticas são tipicamente utilizadas para permitir que as plataformas reajam rapidamente a novas formas de violações que surgem online, incluindo novas formas de disseminação de imagens de abuso e exploração sexual infantil. 

    “Sem conjuntos de dados de treinamento abrangentes, ricos e diversos construídos a partir de fontes em diferentes idiomas, as plataformas podem se tornar cegas e comprometer sua capacidade de sinalizar conteúdo para revisão humana e priorizar a ordem que tal conteúdo é revisado durante o processo de moderação”, afirma Tavares. 

    Apresentação feita pela Safernet em Paris 

    Denúncias de imagens de abuso sexual no Brasil aumentaram 79% nos últimos 10 meses

    O número de denúncias novas (links nunca antes reportados e não duplicados) com imagens de abuso e exploração sexual infantil aumentou 78,93% nos primeiros dez meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. A Safernet recebeu 60.765 novos links entre 1 de janeiro e 31 de outubro deste ano contra 33.961 links no mesmo período de 2022. 

    O número de links inéditos recebidos pela Safernet nestes 10 meses de 2023 já supera os 40.572 links inéditos recebidos durante todo o ano de 2022 na Central Nacional de Denúncias, mantida pela Safernet, que recebe denúncias de 10 diferentes crimes contra os direitos humanos na internet. 

    No total, ano passado, a Safernet recebeu 111.929 denúncias, um crescimento de quase 10% em relação às 101.833 de 2021. O patamar superior a 100 mil denúncias por dois anos seguidos não era atingido desde 2011. O total de denúncias é a soma dos links inéditos, separados e enviados às autoridades, mais os links duplicados.

    #18N Dia Mundial de Prevenção e Reparação ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil

    A Safernet está divulgando esta nova etapa do projeto Discover e a parcial sobre denúncias de imagens de abuso sexual para chamar a atenção para o Dia Mundial de Prevenção e Reparação ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil que deve ser celebrado anualmente dia 18 de novembro. A data foi estabelecida pela Assembleia Geral da ONU em 2022.

    Segundo a entidade End Violence Against Children (Fim da Violência contra As Crianças), uma parceria global lançada pelo secretário geral da ONU em 2016, a data apresenta uma oportunidade de “reconhecer a terrível magnitude da violência sexual contra crianças, ampliar o apoio aos sobreviventes e convocar coletivamente lideranças em todos os lugares para se comprometerem com mudanças duradouras em todo o mundo”.

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital e o programa Cidadão Digital. 

    Importante: a Safernet recomenda que não se deve mais usar a expressão pornografia infantil

    Matéria publicada em 17/11/2023

    MATERIAL DE APOIO 

    Fala inicial de Thiago Tavares no evento de 8 de novembro de 2023

    Mesdames et Messieurs,

    Je vous remercie beaucoup de m'avoir accueilli ici. Je suis le fondateur et président de SaferNet Brésil. Pour ceux qui ne connaissent pas, SaferNet est la première ONG au Brésil à établir une approche multipartite pour protéger les droits des enfants dans l'environnement numérique. Depuis 2005, nous avons créé et coordonné la ligne d'urgence nationale Cybertipline, la ligne d'aide nationale et le Hub brésilien pour l'éducation et la sensibilisation à la sécurité en ligne. Nous avons 18 ans d'expérience dans la mise en œuvre de programmes innovants et primés avec un énorme impact social au Brésil.

    Au cours des 17 dernières années, notre hotline a traité 1 million de signalements uniques, dont plus de 50 % sont liés à la CSAM*. Plus de 700 mille contenus ont été supprimés.

    Au Brésil, toutes les heures, 6 enfants ou adolescents sont victimes de violence sexuelle. 1 enfant d'âge scolaire brésilien sur 7 a subi une forme d'abus sexuel au cours de sa vie. Au Brésil, 92 % des enfants âgés de 9 à 17 ans utilisent Internet tous les jours, et ces enfants passent de plus en plus de temps connectés et ont de plus en plus tôt accès à différents appareils, généralement sans la supervision des parents.

    Vous pouvez naviguer à travers les statistiques de notre hotline en utilisant un tableau de bord qui est publiquement disponible sur indicadores.safernet.org.br et approfondir ces chiffres.

    Financé par SafeOnline, SaferNet gère le projet Discover au Brésil dans le but de créer un bac à sable pour les chercheurs, de construire de nouveaux ensembles de données d'entraînement en langue portugaise et de permettre à des partenaires de confiance de développer des recherches contextuelles et basées sur des preuves interplateformes pour favoriser le développement de nouveaux prototypes open-source pour lutter contre la CSAM en ligne.

    Le projet permettra aux développeurs et aux chercheurs de D.I.S.C.O.V.E.R les comportements des délinquants et de mitiger leurs tentatives d'abus au Brésil et dans d'autres pays lusophones. Le modèle de données comprend des détails sur des entités telles que les URL, les noms de domaine, les textes, les mots-clés, les rapports et divers attributs liés à ces rapports.

    Comme nous le savons, les plateformes utilisent une combinaison d'heuristiques et d'algorithmes d'apprentissage automatique pour détecter automatiquement le contenu qui viole leurs règles et appliquer les politiques.

    Par définition, les heuristiques sont des modèles courants de texte ou de mots-clés qui peuvent être typiques d'une certaine catégorie de violation de politique.

    Les contenus détectés par les heuristiques sont généralement examinés par des modérateurs de contenu humains avant qu'une action soit prise sur le contenu. Les heuristiques sont généralement utilisées pour permettre aux plateformes de réagir rapidement aux nouvelles formes de violations qui émergent en ligne, y compris les nouvelles formes de diffusion de la CSAM.

    Sans ensembles de données d'entraînement complets, riches et diversifiés construits à partir de sources dans différentes langues, les plateformes peuvent devenir aveugles et compromettre leur capacité à marquer le contenu pour révision humaine et à prioriser l'ordre dans lequel ce contenu est examiné pendant le processus de modération.

    Pour collaborer avec la communauté SafeOnline qui travaille dur pour combler cette lacune, je suis ravi d'annoncer que nous lançons aujourd'hui, dans le cadre du projet Discover, un ensemble de données de mots-clés liés à la CSAM avec 963 heuristiques dans différentes langues, y compris le portugais, généré à partir d'un corpus d'environ 100 000 textes liés à la CSAM/CSAE collectés lors du traitement des rapports de la hotline brésilienne au cours des dernières années.

    Nous publierons le mois prochain le code source et la documentation du classificateur de texte et de l'algorithme d'entraînement également. Cet outil a la capacité de prétraiter les documents pour la sanitisation des textes et de prendre en compte les mots-clés pendant l'entraînement, favorisant la détection du contenu CSAM basé sur des textes dans des langues sous-représentées, telles que le portugais brésilien.

    SaferNet publiera également une API sécurisée, offrant un accès contrôlé à des chercheurs et développeurs sélectionnés au 2e trimestre de 2024 dans le cadre du projet Discover.

    Au Brésil, nos principaux partenaires sont : le ministère de la Justice et de la Sécurité publique, la Direction de la cybercriminalité de la police fédérale brésilienne, le Service des procureurs fédéraux brésiliens chargé de la lutte contre la cybercriminalité, le Centre d'information sur le réseau brésilien (NIC.br), l'Association des fournisseurs de services Internet brésiliens, les départements d'informatique de plusieurs universités, l'UNICEF et les principales plateformes opérant au Brésil : Google, Youtube, Meta, TikTok et X.

    Le projet DISCOVER favorise les synergies entre les partenaires en créant un cycle collaboratif et vertueux qui tire parti des données partagées et des connaissances pour améliorer la compréhension collective, stimuler l'innovation et amplifier l'impact des efforts de chaque entité pour lutter contre la CSAM au Brésil et bénéficiera certainement également à d'autres pays lusophones.

    Je suis ravi de cette opportunité de vous rencontrer tous en personne et j'ai hâte de rattraper beaucoup de personnes dans cette salle pour discuter de la façon dont nous pouvons collaborer pour favoriser ce travail au Brésil dans les mois à venir.

    Merci beaucoup! Thank you! Obrigado!

    *CSAM = child sexual abuse materials - materiais de abuso sexual infantil

  • Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023 abre inscrições para escolas

    / / Segurança Digital / Por admin / 5 meses 6 dias atrás

    As mais de 150 escolas que aderiram ao projeto da Disciplina de Cidadania Digital em 2023, fruto da parceria entre a ONG Safernet Brasil e o Governo do Reino Unido, poderão se inscrever, até o dia 07/01/2024 (inscrições prorrogadas), na primeira edição do Prêmio Cidadania Digital em Ação. 

    A iniciativa vai premiar ações educativas criadas pelos mais de 11 mil estudantes, principalmente do Ensino Médio, que participaram, ao longo do ano, das aulas propostas pelo caderno de aulas do projeto. 

    Educadores podem inscrever as ações criadas por seus alunos a partir dos recursos sugeridos no módulo 5 do caderno de aulas, que propõe que os próprios estudantes criem intervenções socioculturais para mobilizar suas escolas, famílias e comunidades nos tópicos de privacidade, bem-estar digital, combate a violências e educação midiática. Ações como eventos, gincanas, criação de conteúdos digitais e impressos, e intervenções artísticas são algumas das possibilidades.

    Serão 3 equipes premiadas, e os estudantes e educadores receberão medalhas, certificados e um prêmio surpresa. Além disso, cada equipe poderá enviar 2 representantes, um educador e um estudante, para participar de uma cerimônia de premiação em São Paulo, no dia 6 de fevereiro de 2024, durante o Dia da Internet Segura, iniciativa global que, no Brasil, é coordenada pela ONG Safernet Brasil desde 2009.

    O que é este prêmio?

    O Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023 busca reconhecer intervenções socioculturais protagonizadas por estudantes do ensino básico e apoiadas por educadoras(es) com o propósito de engajar pessoas no uso seguro, consciente, saudável, crítico e positivo das tecnologias.

    Quem pode se inscrever?

    Podem ser inscritas iniciativas realizadas por equipes de estudantes de todo o Brasil do ensino fundamental ou ensino médio de escolas que aderiram ao projeto da Disciplina de Cidadania Digital em 2023.

    Como se inscrever?

    A inscrição é gratuita e deve ser feita pelo(a) educador(a) responsável pela aplicação da Disciplina na escola ou por uma pessoa da gestão/equipe pedagógica da escola ou secretaria de educação através do formulário disponível no link bit.ly/premiocidadaniadigital2023-inscricao até o dia 07/01/2024 (prazo prorrogado).

    Para saber mais sobre a premiação, confira o regulamento completo aqui: bit.ly/premiocidadaniadigital2023-regulamento.

    Clique no banner para baixar o regulamento em PDF:

    Regulamento - Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023 

    Ficou com dúvidas ou quer saber mais sobre o prêmio? 

    Assista ao encontro tira-dúvidas sobre a premiação, disponível no canal do Youtube da Safernet Brasil.

    Live Encontro tira-dúvidas - Prêmio Cidadania Digital em Ação 2023 

    Se ainda tiver dúvidas, nos escreva em dap@safernet.org.br.

     

    (Matéria publicada em 08/11/2023)

  • Grupo de Trabalho de especialistas em violência nas escolas entrega relatório ao MEC

    / / / Por admin / 5 meses 1 semana atrás

    O Grupo de Trabalho de especialistas em violência nas escolas publicou na última sexta-feira (6) e entregou ao Ministério da Educação relatório de 140 páginas com uma análise do fenômeno dos ataques a escolas e recomendações para ações do governo sobre o tema. 

    A Safernet integrou o time de 68 especialistas do GT, criado pela portaria 1089 de 12 de junho de 2023, e que teve como relator o professor Daniel Cara, da Faculdade de Educação da USP. 

    Acesse a íntegra do relatório de especialistas

    Desde sua criação, a ONG possui forte atuação na educação para o uso seguro e cidadão da internet, atuando em escolas públicas com os projetos Cidadão Digital e Disciplina de Cidadania Digital, além de palestras de conscientização. Participaram do GT a diretora Juliana Cunha e o gerente de projetos Guilherme Alves. 

    A Safernet é também parceira do Ministério da Justiça e Segurança Pública, tendo sido a responsável pela criação do canal exclusivo para recebimento de denúncias e informações sobre ameaças e ataques contra as escolas. A ação faz parte da Operação Escola Segura.

    Recomendações

    O GT de especialistas tinha como objetivos subsidiar o MEC na elaboração de políticas de proteção ao ambiente escolar e auxiliar o MEC na escuta de demais atores da sociedade civil sobre o tema de violência nas escolas. Uma das atividades desenvolvidas pelo grupo foi o 1º Seminário Internacional sobre Segurança e Proteção no Ambiente Escolar, realizado em Brasília. 

    Entre várias das medidas sugeridas pelo GT está o combate a discursos extremistas digitais que estimulam novos ataques às escolas, como o fortalecimento da educação digital, midiática e em contato com pais para o uso “seguro e responsável” da internet. 

    Outra medida importante são o combate ao bullying e ao cyberbullying escolar com a elaboração de materiais de combate à conteúdos que não informam e que ajudam no crescimento de “discursos misóginos, racistas, homofóbicos entre outros”.

    Publicado em 07/11/2023

  • Saiba como é uma atividade do programa Cidadão Digital da Safernet

    / / Segurança Digital / Por admin / 5 meses 1 semana atrás

    Na manhã da última sexta-feira (20), cerca de 70 alunos das duas turmas do 6º ano da Escola Estadual Lasar Segall, unidade do programa ETI (Escola de Tempo Integral), na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, tiveram a rotina modificada por uma atividade do programa Cidadão Digital, da Safernet, que usa a educação entre pares para promover entre crianças e adolescentes, alunos de escolas públicas, o uso seguro da internet. 

    Desde 2020, o Cidadão Digital, o mais duradouro programa de cidadania digital da Safernet, já impactou mais de 177 mil estudantes em mais de 600 instituições de ensino e 70 mil educadores. As ações acontecem em todo o país no formato de atividades remotas, híbridas ou presenciais. 

    Por meio dele, jovens entre 18 e 29 anos (universitários ou jovens profissionais) realizam atividades com alunos de escolas públicas dos últimos anos do fundamental e médio sobre segurança online, combate à desinformação, autocuidado, respeito e empatia nas redes. 

    Na E.E. Lasar Segall, a pedido da escola, os temas foram cyberbullying e autocuidado nas redes. A facilitadora da atividade foi a jovem líder Bárbara Yamasaki, 27, de São Paulo. 

    Em linguagem simples, Bárbara contou com duas turmas muito atentas e participativas de pré-adolescentes de 11 e 12 anos, a maioria filhos de pessoas que trabalham no bairro e que moram bem longe da escola. 

    Para cada turma, a forma como a conversa fluiu foi diferente pois Bárbara dá às crianças a oportunidade de se expressarem todo o tempo, chamando-os a participar e dar exemplos de situações que viveram online e offline. 

    No bloco do autocuidado, ao perguntar para as crianças uma situação que tenham vivido que as tenha deixado tristes uma menina desabafou: “minha mãe deixou nossa casa e meu pai cuidou de mim, mas ele teve depressão”, recebendo olhares de consolo dos colegas. 

    A abordagem desses temas fez as crianças lembrarem do auge da pandemia de covid-19 e das dificuldades que tiveram naquele período. 

    “Eu pensei que minha mãe tivesse comprado a emissora de televisão para dizerem pra eu não sair de casa”, disse um menino. “Quando minha mãe teve covid, ela foi se isolar, mas eu acabei pegando a doença também, pois toda noite eu ía abraça-la, pois não sei viver sem dar um abraço todas as noites em minha mãe”, contou uma menina. Outra garota confessou: “eu não conseguia estudar pelo computador, eu via uma série ou dormia”.

    As crianças então contaram como fazem nesses momentos de raiva, angústia, aflição, frustração e tédio: leitura, música (tocar um instrumento ou ouvir), dançar, brincar, desenhar, pintar, assistir séries, conversar com um parente ou amigo, praticar esportes ou até um banho mais longo ajudam nesses momentos mais difíceis da vida. 

    Comunicação sim, bullying não

     Atividade sobre cyberbullying Cidadão Digital 2023 

    Na hora de falar de bullying e cyberbullying, todas as crianças sabiam na ponta da língua a diferença entre um e outro. Para quem não sabe, bullying é intimidar, perturbar, caçoar ou até mesmo agredir alguém de forma repetitiva, geralmente numa relação desigual, como menino x menina ou dois contra um, por exemplo. O cyberbullying é o bullying por meio das redes, ou seja, aquilo que muitas vezes acontecia num canto do pátio ou no portão da escola pode ser tornar público, por meio das redes sociais ou grupos de mensagens. 

    Entretanto, nem todas reconheciam ou sabiam todos os meios de lidar com o problema, quando ele ocorre online, qual a hora de envolver os pais ou a escola, por exemplo. 

    Uma das soluções apresentada por uma líder de turma, porém, mostrou um bom caminho: “se comunicar é muito melhor que xingar ou bater”. 

    Bárbara acrescentou. “É fundamental que vocês, no aspecto pessoal, criem redes de apoio para se defender, mas no coletivo é preciso que toda a comunidade escolar assumam um compromisso para acabar com esse tipo de coisa”, disse.

    De toda forma, Bárbara lembrou às crianças que a solução não pode envolver mais violência, nem atender somente as vítimas. “O autor do bullying também precisa de cuidado, pois na maioria das vezes é uma pessoa que está passando por um grande problema e não sabe lidar com ele, extravasando de forma errada, por meio da violência ou intimidação”, explicou. 

    Ao final de cada aula, Bárbara sugeriu uma atividade em que as crianças botavam no papel suas experiências para quebrar com ciclos de bullying, com as expressões eu já, para contar o que fizeram no passado, eu nunca, para dizerem o que nunca devem fazer nessas situações o eu vou, assumindo compromissos contra esse problema. Os trabalhos foram entregues à coordenação da escola e seriam avaliados pelos professores para que os melhores componham um mural sobre o tema. 

    A Safernet doou à escola materiais ilustrados sobre combate ao bullying e ao cyberbullying da campanha “É da Minha Conta”, realizada em parceria com UNICEF e apoio da Meta.

    As crianças rapidamente se afeiçoaram à Bárbara, que foi surpreendida por várias delas, especialmente as meninas, com desenhos, cartas, bilhetes e muitos pedidos para saber em quais redes sociais ela está. Uma das meninas, de origem asiática como a jovem líder da Safernet, se sentiu representada: “posso ser sua irmã?”. 

     Atividade sobre cyberbullying Cidadão Digital 2023 

    Como receber atividades do Programa Cidadão Digital

    As atividades educativas do Cidadão Digital são gratuitas e adaptadas à realidade das escolas parceiras, sempre buscando conectá-las aos projetos que já estejam em curso na instituição de ensino. No caso da Lasar Segall, a atividade recebeu apoio da coordenação e dos professores que permaneceram em sala durante a atividade da Safernet. 

    Instituições de ensino que desejam receber atividades do programa para alunos podem se inscrever aqui

    Texto e fotos: Marcelo Oliveira - Assessoria de Imprensa Safernet

    Matéria publicada em 01/11/2023

     Atividade sobre cyberbullying Cidadão Digital 2023 

SaferNet Brasil | CNPJ: 07.837.984/0001-09