Início

Home

Close
  • Curso de Segurança e Cidadania Digital está disponível para professores em plataforma do MEC

    / / Segurança Digital / Por admin / 1 mês 5 dias atrás

    O curso de formação para educadores “Segurança e Cidadania Digital em Sala de Aula”, criado pela Safernet com apoio do Governo do Reino Unido, passou a ser ofertado na plataforma Avamec, do Ministério da Educação, a partir do dia 18 de junho.

    O anúncio foi feito pela Diretora de Apoio à Gestão Educacional, Anita Gea Martinez Stefani, durante o webinário “Educação digital: perspectivas sobre a formação de professores”, que integra o Ciclo de Seminários e Oficinas sobre Educação Digital, promovido pelo MEC.

    O Avamec, sigla para Ambiente Virtual de Aprendizado do Ministério da Educação, é uma plataforma gratuita que oferece cursos de formação continuada online para educadores de todo o país. Com o lançamento, o MEC espera alcançar até 5 mil profissionais da educação por turma, que podem se inscrever e iniciar os estudos a qualquer momento acessando a página do curso no Avamec.

    Lançado em outubro de 2023, o curso “Segurança e Cidadania Digital em sala de aula” já alcançou mais de 3000 educadores, que recebem certificação ao estudar sobre temas como bem-estar digital, uso saudável de tecnologias, segurança digital, privacidade, e combate ao cyberbullying e outras violências online.

    A formação tem 40h de duração e integra o projeto da Disciplina de Cidadania Digital (https://cidadaniadigital.org.br/), que auxilia secretarias de educação e escolas na criação de um currículo sobre uso consciente e seguro de tecnologias para estudantes do Ensino Médio e dos anos finais do Ensino Fundamental. Além do curso de formação, o projeto oferece a escolas parceiras um caderno de aulas, encontros formativos com professores e uma premiação para melhores práticas. Desde 2023, já são 259 escolas participantes, em 16 UFs, impactando quase 30 mil estudantes. A adesão ao projeto é gratuita e pode ser feita pelo site da iniciativa.

    Expectativa de crescimento

    “A oferta do curso no Avamec tornará possível que mais educadores de todo o país sejam treinados para os desafios da cidadania digital, podendo levar para a sala de aula ações inovadoras, baseadas em metodologias ativas de ensino, para debater, trazer reflexões e fomentar o uso mais saudável das tecnologias”, afirma Guilherme Alves, gerente de projetos da Safernet e coordenador da Disciplina de Cidadania Digital.

    Recorde de denúncias de violência online

    Dados da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernético da Safernet (https://denuncie.org.br) indicam a urgência de preparar os estudantes sobre riscos online. Em 2023, a ONG registrou quase 72 mil denúncias de conteúdos online contendo abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, recorde histórico em 18 anos de funcionamento da central e um aumento de 77,12% em relação a 2022. Também preocupam os aumentos nas denúncias de conteúdos de intolerância religiosa e xenofobia, que somadas às demais categorias totalizam mais de 100 mil denúncias na plataforma. Os dados completos podem ser obtidos na página de indicadores da central.

    Curso em cinco módulos

    O curso “Segurança e Cidadania Digital em Sala de Aula” traz a profissionais da educação do ensino básico 5 módulos que os preparam para discutir o uso seguro e consciente das tecnologias em sala de aula:

    • Respeito e empatia nas redes; 
    • Bem estar e saúde emocional; 
    • Segurança e privacidade na internet;
      Relacionamentos seguros online; 
    • Cidadania digital para todos e todas. 

    Todo o conteúdo é alinhado com a Base Nacional Comum Curricular e indicado para o Ensino Médio e os anos finais do Ensino Fundamental. Ao longo do curso, o educador tem contato com textos, vídeos, roteiros de aula, e-books e questionários sobre os temas.

    Os professores que aplicam os conteúdos em sala de aula podem cadastrar suas escolas no projeto em https://cidadaniadigital.org.br e assim ter acesso a formação online, receber suporte da Safernet e participar do Prêmio Cidadania Digital em Ação, que destaca melhores práticas.

    Disciplina é destaque no Jornal Nacional e no Fantástico

    A Disciplina de Cidadania Digital foi destaque em duas reportagens exibidas pela Rede Globo, em rede nacional, no último mês de abril. Clique aqui e veja as reportagens.

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

    Texto publicado em 18 de junho*

    * Com informações do MEC e da Secom/PR

  • G20 - SaferNet participa de dois eventos do Grupo de Trabalho de Economia Digital, em São Luís

    / / Segurança Digital / Por admin / 1 mês 6 dias atrás

    A SaferNet participou de dois eventos durante a terceira reunião oficial do Grupo de Trabalho de Economia Digital do G20, em São Luís, Maranhão. Guilherme Alves, gerente de projeto, e Thiago Tavares, fundador e presidente da SaferNet Brasil, participaram, respectivamente, do Seminário sobre Segurança na Economia Digital, no dia 10, e do Seminário Navegando pela Proteção de Dados na Agenda de Economia Digital do G20, no dia 12. 

    O diálogo é realizado pelo Grupo de Trabalho de Economia Digital do G20. As atividades fazem parte do calendário de eventos organizados pelo Brasil durante sua presidência do fórum, que reúne as 20 maiores economias do mundo mais a União Européia e a União Africana.

    Coube ao presidente da SaferNet Brasil realizar a apresentação principal (keynote) sobre a importância da proteção de dados e da cidadania digital na economia digital. O evento, organizado pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), contou com a participação de delegados dos países do G20 e especialistas de todo o mundo.

    Em seu discurso no seminário Tavares destacou os esforços pioneiros da SaferNet na proteção dos direitos humanos no ambiente digital no Brasil. Estabelecida em 2005, a SaferNet Brasil é a primeira ONG no Sul Global a adotar uma abordagem multissetorial para segurança online, educação digital e proteção de direitos. 

     

    Ao longo dos últimos 18 anos, as iniciativas da SaferNet incluem a Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, operada em parceria com o MPF, o Canal de Ajuda e Orientação a vítimas de violações online, e diversas campanhas e projetos de Educação e Conscientização sobre Segurança Online.

    Nesses 18 anos, a SaferNet Brasil realizou:

    • O processamento de mais de 1 milhão de denúncias únicas, com 50% relacionadas a Material de Abuso Sexual Infantil Online;
    • A remoção voluntária de mais de 800.000 URLs por violação de convenções de direitos humanos;
    • A prestação de suporte e aconselhamento a mais de 38.000 brasileiros enfrentando ameaças cibernéticas como cyberbullying, compartilhamento não consensual de imagens íntimas, fraudes, autolesão e vazamento de dados.

    Tavares enfatizou a importância do robusto quadro legal do Brasil em proteção infantil, direitos digitais e educação digital. Ele citou a Lei da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que integra a alfabetização digital e a cultura nos padrões educacionais nacionais, e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que protege a privacidade individual, e o Marco Civil da Internet, que estabelece direitos e deveres de usuários e provedores de acesso e serviços à Internet no Brasil.

    Um desafio crítico destacado no discurso foi a disseminação de desinformação, discurso de ódio e ameaças cibernéticas direcionadas a grupos vulneráveis, como crianças, adolescentes e idosos. Tavares ressaltou a importância da alfabetização midiática e informacional para capacitar os indivíduos a discernir informações confiáveis e a proteger seus dados pessoais.

    “Educação midiática e informação empoderam os indivíduos e permitem que eles possam discernir entre informação íntegra e desinformação, aumentando a capacidade de tomarem decisões”, afirmou. 

    “Programas de cidadania digital, como o que criamos no Brasil, apresentam ferramentas para combater a desinformação e proteger grupos vulneráveis contra ameaças digitais”, disse o presidente da SaferNet, que convidou os representantes dos países presentes ao evento que baixassem o conteúdo do caderno de aulas da Disciplina de Cidadania Digital para conhecê-la. 

    Tavares afirmou que a meta do programa em 2024, por meio de parcerias com secretarias estaduais de educação e o Ministério da Educação, é que ele ganhe em escala e chegue a escolas de todos os estados brasileiros. 

    Desafios e propostas

    Em sua apresentação no seminário de 10 de junho, Guilherme Alves, apontou que a cidadania digital nas escolas enfrenta dificuldades típicas de um país em desenvolvimento, em que os professores têm pouco acesso à formação continuada, num contexto em sala de aula em que têm sido cada vez mais demandados pelos alunos sobre esses temas, pois as crianças e adolescentes relatam, cada vez mais cedo, já terem vivenciado violências online. Dados da última pesquisa TIC Kids Online 2022, do Cetic.br, apontam que 4 em cada 10 adolescentes já viram alguém ser discriminado online, principalmente por motivos de cor ou raça, aparência física e orientação sexual.

     

    G20 São Luís

     

    Alves explicou como a SaferNet, por meio da Disciplina de Cidadania Digital, atua buscando dialogar com a realidade das escolas, professores e estudantes em quatro frentes:

    • Disponibilizando recursos pedagógicos, com um caderno com roteiros de aulas para professores que traz metodologias ativas e atividades para ensinar sobre bem-estar online, privacidade e segurança digital, comportamentos positivos na internet e prevenção à violência sexual; 
    • Atuando na formação continuada, com um curso de formação aberto a educadores;
    • Oferecendo suporte, acolhimento e orientação a escolas e professores, com oficinas formativas e encontros para trocas de experiências;
    • E dando visibilidade às melhores práticas dos educadores com o Prêmio Cidadania Digital em Ação, valorizando experiências de protagonismo estudantil nas escolas. 

    Para Alves, para a Cidadania Digital avançar no país é preciso:

    • Compreender os professores como profissionais que ainda trabalham sob condições muito difíceis, muitas vezes precárias. Segurança cibernética e cidadania digital não devem ser apenas mais uma demanda, mas uma oportunidade de formação, de valorização profissional e de transformação de realidades a partir da educação; 
    • Compreender a diferença entre uso de tecnologia na educação, como recurso pedagógico, e a educação para o uso de tecnologias, que são as práticas de orientação para o uso seguro e consciente. Essa diferença nem sempre é evidente e a formação de professores no Brasil é focada no instrumental;
    • A educação não deve ter como objetivo formar clientes de aplicativos ou usuários de redes sociais, mas uma geração apta a refletir criticamente e criar tecnologias sociais a partir dos seus contextos e necessidades; 
    • Não são precisos computadores avançados para ensinar sobre segurança cibernética. Não estamos falando apenas em habilidades instrumentais, mas sim habilidades socioemocionais, de convívio online e reflexão sobre hábitos, riscos e oportunidades; 
    • E é preciso estimular o protagonismo das crianças e adolescentes nesse processo, oferecendo meios de incentivo e canais para sua participação. 

    Saiba mais sobre a disciplina

    A SaferNet e o Governo do Reino Unido são parceiros desde 2021 na criação e aplicação Disciplina de Cidadania Digital, projeto que integra o DAP (sigla em inglês para Programa de Acesso Digital). 

    O DAP é voltado para três pilares: conectividade, proteção e prosperidade (empreendedorismo). O programa alcança, além do Brasil, África do Sul, Indonésia, Quênia e Nigéria. 

    A disciplina é voltada para estudantes do Ensino Médio e dos dois últimos anos do Ensino Fundamental. Educadores podem baixar o caderno de aulas diretamente na página da Disciplina de Cidadania Digital e fazer sua inscrição no curso de formação “Segurança e Cidadania Digital em sala de aula” da SaferNet. 

    Veja aqui o mapa interativo com os resultados completos do projeto até agora. É possível ver os dados por estado e por ano. 

    Veja recentes reportagens sobre a Disciplina de Cidadania Digital aqui

    Sobre a SaferNet

    A SaferNet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A SaferNet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A SaferNet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

    Texto publicado em 18 de junho de 2024

  • Professores trocam experiências sobre como lidar com violências online em sala de aula

    / / Comportamento Online / Por admin / 1 mês 2 semanas atrás

    No próximo dia 11 de junho, a partir das 16h (horário de Brasília), professores de diferentes cidades do Brasil estarão compartilhando ao vivo, no canal do Youtube da Safernet, suas experiências em sala de aula em temas ligados à competência de Cultural Digital da Base Nacional Comum Curricular.

    Na live "Cidadania Digital na prática", professores da Bahia, Brasília, Ceará, Minas Gerais e Rio de Janeiro compartilharão suas experiências em sala de aula com os conteúdos da Disciplina de Cidadania Digital, desenvolvida em parceria pela Safernet e o Governo do Reino Unido. 

    A Disciplina de Cidadania Digital não é somente instrumental, sobre como usar a internet, mas sobre o desenvolvimento de habilidades e competências para o uso seguro, ético e consciente das tecnologias. Os conteúdos da disciplina promovem a segurança contra a exposição indevida, o discurso de ódio, golpes, violências e desinformação online.

    Assista à transmissão da Safernet.

    Conheça os professores que vão participar da live

    Participantes da live 

    ✅ Aline Paixão, licenciada em Português/Inglês (UEG), terapeuta, produtora de conteúdo e professora em Sobradinho (DF). 

    Aline ministra os conteúdos da Safernet para alunos do 2º ano do ensino médio do CEM 04, em Sobradinho 2, Brasília (DF).O trabalho dela com os alunos foi mostrado em recente reportagem do Fantástico

    ✅ Alyne Assunção, pós-graduada em Gestão de Marketing e Design Thinking, graduanda em Filosofia e Psicologia, youtuber e professora em Fortaleza (CE). 

    A professora ministra os conteúdos da disciplina para alunos do 2º ano do ensino médio da Escola de Ensino Médio em Tempo Integral Lions Jangada, da rede estadual de ensino. Seu trabalho e dos estudantes foi mostrado em reportagem do Jornal Nacional

    ✅ Carolina Luz, graduada em História, pós-graduada em Computação Aplicada à Educação Básica e professora em Paraisópolis (MG).

    Ela aplica conteúdos da disciplina para alunos do 1º, 2º e 3º ano do ensino médio, na matéria de Tecnologia e Inovação, na Escola Estadual Eulália Gomes de Oliveira. 

    ✅ Ives Duque Pereira, doutorando em Cognição e Linguagem (UENF) e professor em Campos dos Goytacazes (RJ). 

    O conteúdo integral da disciplina é ministrado pelo professor para alunos do 2º ano do ensino médio do Colégio Estadual Doutor Thiers Cardoso como parte da matéria “Conectando Indivíduo, Sociedade e Tecnologia”, parte do itinerário formativo integrado “Geração Digital”. 

    O professor ministra ainda partes do conteúdo na matéria Projeto de Vida para alunos do 1º e 2º anos do ensino médio profissionalizante do Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert e também pretende apresentar o conteúdo da Safernet no ensino superior, no qual dá aulas em um curso de licenciatura em pedagogia. 

    ✅ Reginaldo Silva Araújo, graduado em Letras (UNEB) e pós-graduando em Gênero, Raça/Etnia e Sexualidade na Formação de Educadoras/es (UNEB), professor em Seabra (BA). 

    Ele ministra conteúdos da disciplina para alunos do 2º e 3º ano do ensino médio do Colégio Estadual do Campo Filinto Justiniano Bastos. O conteúdo integra a eletiva “Na Trilha da Comunicação”. Em 2023, o conteúdo completo da disciplina foi aplicado para alunos do 2º ano da mesma escola na eletiva “Cidadania e Segurança Digital”. 

    Assista a live ao vivo no YouTube da Safernet. Se não der, você pode ver o vídeo depois, não se preocupe. A moderação da live será realizada por Bianca Serrão, psicóloga, que atua na equipe da Disciplina de Cidadania Digital da Safernet, e também no Canal de Ajuda da ONG. 

    Disciplina de Cidadania Digital

    A Disciplina de Cidadania Digital, nestes dois primeiros anos de aplicação, já alcançou mais de 29 mil alunos em 16 estados, em 259 escolas de 179 municípios brasileiros. 

    Educadores de qualquer área de conhecimento podem baixar o caderno de aulas diretamente na página da Disciplina de Cidadania Digital e fazer sua inscrição no curso de formação “Segurança e Cidadania Digital em sala de aula” da Safernet, que prepara e dá suporte para a aplicação do conteúdo com estudantes. Mais de 3000 professores, de todos os Estados e do Distrito Federal já se matricularam. 

    Conheça os módulos da disciplina:

    respeito e empatia nas redes; 

    bem estar e saúde emocional; 

    segurança e privacidade na internet; 

    relacionamentos seguros online e cidadania digital para todos e todas. 

    Texto publicado em 07/06/2024

  • Cidadania digital deve ser prioridade na formação de professores que lidarão com TICs na Educação

    / / Segurança Digital / Por admin / 1 mês 2 semanas atrás

    Professores do ensino básico têm se deparado com muitos desafios para incluir as tecnologias na educação e, principalmente, para educar sobre o uso delas com consciência e segurança. Estes foram alguns dos pontos ressaltados pelos debatedores do painel promovido pela Safernet e o Governo do Reino Unido no 14º Fórum da Internet no Brasil (FIB14), em Curitiba, em maio passado. 

    Segundo a pesquisa TIC Educação 2022, divulgada no ano passado, 44% dos professores da educação básica no Brasil não tiveram acesso a qualquer tipo de formação continuada sobre uso de TICs na educação em 2022. 

    Confira a pesquisa completa aqui.

    Assista ao o painel da Safernet e do Governo do Reino Unido no FIB14

    Professoras e professores se deparam com a ausência de infraestrutura nas suas escolas e também com uma concepção que ainda é recorrente de que crianças e adolescentes são “nativos digitais”, uma vez que é comum que usem TICs desde a primeira infância. Com isso, muitas vezes podem se sentir inseguros ou não aptos a orientar estudantes sobre como utilizar as tecnologias de uma forma consciente e responsável, tema que deve estar presente no ensino básico, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular.

    A inclusão digital abrange não apenas o acesso à internet e o uso de dispositivos e aplicações, mas também o desenvolvimento de habilidades e competências para o uso seguro e consciente das tecnologias. Portanto, é fundamental que professores possam estar plenamente capacitados com conhecimento e as ferramentas necessárias para orientar crianças e adolescentes sobre como promover cidadania e se proteger de possíveis riscos na rede.

    É o que prevê também o Marco Civil da Internet, que completou 10 anos em 2024, e a recente Política Nacional de Educação Digital.

    Entretanto, como os dados da TIC Educação e outras pesquisas importantes apontam, há uma lacuna significativa para que isso se torne realidade, iniciando com a formação docente. A Disciplina de Cidadania Digital, criada pela Safernet e pelo Governo do Reino Unido, se apresenta como uma opção para os professores lidarem com esses desafios e para que estudantes de todo o Brasil tornem-se cidadãos digitais, utilizando as tecnologias de informação com consciência, ética e segurança. 

    Painelistas

    Um ponto importante foi ressaltado pelo professor Douglas Pereira da Costa, do Instituto Federal do Ceará, doutorando em Educação que está pesquisando justamente a formação de professores. Para ele, a formação de profissionais da Educação no campo do uso de tecnologias tem foco muito grande no “instrumental”, ou seja, em como usar as tecnologias. 

    Segundo ele, uma formação em cidadania digital “exige uma perspectiva crítica, ética, cidadã, responsável e autoral”, ou seja, professores e alunos devem entender que são capazes de criar com as tecnologias. “O professor é uma pessoa impactada pelas tecnologias, como qualquer um, e deve fazer leituras críticas do mundo digital”, afirmou. 

    A Coordenadora-Geral de Tecnologia e Inovação na Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Ana Úngari Dal Fabbro, que também é mestre em Estudos do Desenvolvimento pela London School of Economics, indicou que o ministério tem atuado em três frentes quando o tema é tecnologias na educação: ensino e aprendizado com uso de tecnologias digitais, cidadania digital, e desenvolvimento profissional. 

    O eixo de cidadania digital é um dos destaques da nova política de Escolas Conectadas, lançada pelo Governo Federal no final do ano passado. Na formação de professores, a plataforma Avamec foi apresentada como um esforço do MEC, incluindo a recente adição de três novos cursos sobre o tema de cidadania digital. 

    Ela afirma que o professor que for lidar com cidadania digital precisa “ser um cidadão digital antes de levar essa visão para os seus estudantes. O professor precisa ter clareza do que é uso responsável, seguro e crítico da tecnologia”, até para que o sistema educacional como um todo cumpra a Lei 14533/2023 que prevê a educação digital como componente do currículo dos ensinos fundamental e médio.

     Painel  Safernet Brasil FIB14 

    Confira o mural colaborativo criado pelos painelistas com referências sobre o tema

    Por sua vez, Karina Daidone Pimentel, mestre em comunicação pela FGV-SP, e responsável pelos projetos educacionais da Fundação Telefônica Vivo, instituição que está há 25 anos no Brasil, defendeu que a formação docente precisa ser continuada e dinâmica, compreendendo os diferentes contextos de atuação dos professores e incluindo formações rápidas. 

    “A tecnologia dentro da escola, na educação, está mais para um estímulo de uso e prática pedagógica e que desenvolva habilidades. Por consequência, este aluno estará apto a ser um cidadão digital”, afirmou. 

    Bianca Serrão, psicóloga e doutora em Estudos da Criança pela Universidade do Minho, em Portugal, e integrante da equipe do Canal de Ajuda e dos projetos de educação da Safernet Brasil, apresentou a Disciplina de Cidadania Digital da Safernet e o curso Segurança e Cidadania Digital em Sala de Aula, voltado para professores que queiram ministrar a disciplina, como uma opção nesse cenário. 

    Apesar de o curso de formação ser autoinstrucional, a Safernet dá apoio aos professores durante os estudos e, principalmente, quando eles aplicam os temas em sala de aula. O curso apresenta o caderno de aulas da Disciplina de Cidadania Digital e os temas que poderão ser trabalhados por eles com os alunos. 

    “Oferecemos acolhimento aos professores, seja apoiando a adaptação de atividades, compartilhando experiências, valorizando suas práticas pedagógicas em sala de aula ao falar sobre cidadania digital com seus estudantes”, afirmou. 

    O debate foi mediado por Guilherme Alves, gerente de projetos da Safernet, e Letícia Hungria, gerente do Programa de Acesso Digital da Embaixada do Reino Unido.

    Disciplina de Cidadania Digital

    A Safernet e o Governo do Reino Unido são parceiros desde 2021 na criação e aplicação Disciplina de Cidadania Digital, projeto que integra o DAP (sigla em inglês para Programa de Acesso Digital, que visa ampliar a inclusão digital em vários países). 

    O DAP, segundo Letícia Hungria, é voltado para três pilares: conectividade, proteção e prosperidade (empreendedorismo). O programa do Governo Britânico alcança, além do Brasil, África do Sul, Indonésia, Quênia e Nigéria. 

    Desde o início de 2023, quando foi iniciada a fase de aplicação da disciplina, mais de 29000 alunos tiveram contato com o conteúdo, em 259 escolas, de 179 municípios localizados em 16 unidades da federação brasileiras. A disciplina é voltada para estudantes do Ensino Médio e dos dois últimos anos do Ensino Fundamental. 

    Educadores podem baixar o caderno de aulas diretamente na página da Disciplina de Cidadania Digital e fazer sua inscrição no curso de formação “Segurança e Cidadania Digital em sala de aula” da Safernet. 

    Espalhados em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, mais de 3000 professores já se matricularam na formação. 

    Veja aqui o mapa interativo com os resultados completos do projeto até agora. É possível ver os dados por estado e por ano. 

    Veja recentes reportagens sobre a Disciplina de Cidadania Digital aqui

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

    Matéria publicada em 4 de junho de 2024.

  • Safernet e Governo do Reino Unido promovem painel sobre Cidadania Digital no FIB14, em Curitiba

    / / Segurança Digital / Por admin / 2 meses 1 semana atrás

    No próximo dia 23, na programação do 14º Fórum da Internet do Brasil (FIB14), em Curitiba (PR), a Safernet e o Governo do Reino Unido promovem o painel “Desenvolvendo habilidades e competências para a cidadania digital: desafios na formação de professores e na sala de aula”. 

    A inclusão digital abrange não apenas o acesso à internet, mas também o desenvolvimento de habilidades e competências para o uso seguro e consciente das tecnologias. É fundamental que professores possam estar plenamente capacitados com conhecimento e as ferramentas necessárias para orientar crianças e adolescentes sobre como promover cidadania e se proteger de possíveis riscos na rede.

    É o que prevê o Marco Civil da Internet, a Base Nacional Comum Curricular e a recente Política Nacional de Educação Digital, mas ainda há lacunas importantes, principalmente na formação de professores. 

    O painel promovido pela Safernet e pelo Governo do Reino Unido pretende discutir este cenário, seus desafios, e que estratégias podem ser adotadas pelas redes de ensino.

    Participarão do painel

    Ana Úngari Dal Fabbro, Coordenadora-Geral de Tecnologia e Inovação na Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), mestre em Estudos do Desenvolvimento pela London School of Economics;

    Bianca Serrão, psicóloga e doutora em Estudos da Criança pela Universidade do Minho, em Portugal. Integrante da equipe do Canal de Ajuda e dos projetos de educação da Safernet Brasil; 

    Douglas Pereira da Costa, professor do Instituto Federal do Ceará, pesquisador do campo da formação de professores e doutorando em Educação pela Universidade Federal do Piauí; 

    Karina Daidone Pimentel, mestre em comunicação pela FGV-SP, e responsável pelos projetos educacionais da Fundação Telefônica Vivo. 

    A mediação do painel será de Guilherme Alves, gerente de projetos da Safernet, e de Letícia Hungria, gerente do Programa de Acesso Digital da Embaixada do Reino Unido. A relatoria é de Isabella Ferro, assistente de projetos da Safernet. 

    O FIB14 é uma promoção do Comitê Gestor da Internet no Brasil e acontecerá de 21 a 24 de maio no Bourbon Curitiba Hotel, no centro da capital paranaense. 

    O painel da Safernet e do Governo do Reino Unido no FIB14 está marcado para o dia 23, às 16h30, na sala 2, 2º andar. 

    Disciplina de Cidadania Digital

    A Safernet e o Governo do Reino Unido são parceiros desde 2021 na criação e aplicação Disciplina de Cidadania Digital, projeto que integra o DAP (sigla em inglês para Programa de Acesso Digital, que visa ampliar a inclusão digital em vários países). 

    A disciplina já alcançou 159 escolas em 116 municípios de 13 unidades da federação brasileiras em 2023 e 11018 alunos tiveram contato com este conteúdo em 2023, primeiro ano de aplicação da disciplina, destinada a alunos do Ensino Médio e dos dois últimos anos do Ensino Fundamental. 

    Educadores de qualquer área de conhecimento podem baixar o caderno de aulas diretamente na página da Disciplina de Cidadania Digital e fazer sua inscrição no curso de formação “Segurança e Cidadania Digital em sala de aula” da Safernet, que prepara e dá suporte para a aplicação do conteúdo com estudantes.

    Espalhados em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, mais de 2.100 professores se matricularam na formação. Veja aqui o mapa interativo com os resultados completos do projeto até agora. 

    Veja recentes reportagens sobre a Disciplina de Cidadania Digital aqui

    Sobre a Safernet

    A Safernet existe desde 2005 e tornou-se a ONG brasileira de referência na promoção dos direitos humanos na internet. Com uma abordagem multissetorial, atua no combate a crimes cibernéticos contra os Direitos Humanos, no acolhimento de vítimas de violência online e em programas de educação, prevenção e conscientização. A Safernet mantém a Central Nacional de Denúncias, conveniada ao Ministério Público Federal e o Canal de Ajuda, o Helpline, para vítimas de violência e outros problemas online. A Safernet promove o uso seguro da internet com projetos educacionais como a Disciplina de Cidadania Digital. 

    Matéria publicada em 17 de maio

  • SaferNet recebe o prêmio Neide Castanha de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

    / / Segurança Digital / Por admin / 2 meses 1 semana atrás

    O Projeto Cidadão Digital, da SaferNet, recebeu na manhã desta terça-feira (14), o Prêmio Neide Castanha de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, na categoria Protagonismo de Crianças e Adolescentes. O prêmio foi entregue durante Sessão Solene da Câmara dos Deputados, em Brasília, sobre o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual Infantojuvenil, celebrado anualmente em 18 de maio. 

    O prêmio, que está em sua 13ª edição, tem esse nome em homenagem à assistente social Neide Castanha, morta em 2010, que foi fundadora e coordenadora do Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes (Cecria) e Secretária Executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. 

    O prêmio foi criado pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes para homenagear personalidades e instituições que, assim como Neide Castanha, se destacaram na defesa intransigente dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, em especial dos Direitos Sexuais. A estatueta do prêmio tem arte criada pelo cartunista Ziraldo, morto em abril, aos 91 anos.

    O Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes é o responsável pela ação permanente Faça Bonito, campanha de conscientização sobre o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. 

    A sessão solene foi requerida pelas deputadas federais Maria do Rosário (PT/RS), Ana Paula Lima (PT/PR) e Laura Carneiro (PSD/RJ). Ana Paula Lima, que presidiu a sessão inicialmente, citou números dramáticos sobre o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, os quais classificou como “pandemia silenciosa e negligenciada”. 

    “Ganhar o prêmio Neide Castanha, em especial na categoria Protagonismo Jovem, é um reconhecimento da importância de projetos como o Cidadão Digital da SaferNet Brasil. Escutar adolescentes e incentivar seu protagonismo para tornar a internet mais segura tem sido uma das principais razões do nosso trabalho nos programas de engajamento jovem”, afirmou a diretora de projetos especiais da Safernet, Juliana Cunha, responsável pelo Cidadão Digital. 

    Cidadão Digital

    O Cidadão Digital é uma iniciativa da Safernet Brasil, realizada por quatro anos com o apoio da Meta, que promove atividades educativas gratuitas para a formação de adolescentes e jovens em temas de cidadania digital, como segurança online, combate à desinformação, autocuidado, respeito e empatia nas redes. 

    Ao longo dessas quatro edições, o programa impactou mais de 215 mil estudantes e 70 mil educadores. As ações acontecem em todo o país no formato de atividades remotas, híbridas ou presenciais, sendo mediadas por jovens através de metodologias de educação entre pares, de jovem para jovem, de uma forma criativa, amigável e inovadora.

    O protagonismo jovem é essencial no projeto, que tem como base a troca de conhecimento sobre os temas transversais ao Cidadão Digital de jovem para jovem. Em geral, jovens adultos de 18 a 29 anos, em sua maioria universitários e recém-formados, transmitem os conteúdos para adolescentes alunos dos últimos anos do ensino fundamental e do ensino médio, que também se tornam multiplicadores dos conteúdos nas suas comunidades e famílias. 

    Recebeu o prêmio em nome da SaferNet o presidente da ONG, Thiago Tavares, que 

    agradeceu especialmente os mais de 15 jovens mentores e 59 jovens embaixadores formados pelo programa: “vocês são e serão sempre os maiores protagonistas”, afirmou. 

    Texto publicado em 15/05/2024

SaferNet Brasil | CNPJ: 07.837.984/0001-09