Dicas para a família e para a escola de como lidar com o ciberbullying

Comportamento Online

Dicas para a família e para a escola de como lidar com o ciberbullying

Compartilhar

O futuro da internet depende do que se faz com ela hoje. Ao usar a internet para agredir e humilhar alguém há um estímulo para que novas leis de controle e proibição sejam criadas e quem perde são os internautas, que tem sua liberdade cada vez mais vigiada e cerceada pelo comportamento de uma parte da sociedade. Quanto mais pessoas conscientes, mais conseguimos criar comportamentos positivos, que se sobreponham à má utilização da ferramenta. Dessa forma, conseguiremos mais segurança e liberdade para navegar na web por conta da utilização com responsabilidade e respeito.

E a formação de pessoas conscientes e responsáveis começa na infância com orientação e educação. A adoção de condutas pacíficas, inclusivas e de convívio harmonioso passa pela participação direta dos pais e responsáveis, como educadores. Neste post, trazemos algumas dicas para você saber o que fazer no caso de vivenciar um caso de ciberbullying junto a filhos ou alunos. Confira:

  • Se seu filho ou aluno está passando por este tipo de situação, ofereça apoio e mostre que ele não está sozinho, nem é culpado pelas ofensas que está sofrendo.
  •  Provocações e ofensas na Internet não devem ser respondidas. Ao passar por isso, grave todas as mensagens ou imagens.
  •  Imagens ou comentários ofensivos podem ser denunciados ao próprio site, sendo possível bloquear o contato no celular, chat, e-mail e redes sociais.
  •  Cuidado com o que escreve e com as imagens que divulga na rede. Conecte-se com respeito.
  •  Se perceber que algum colega de seu filho está sofrendo agressões pela Internet, encoraje-o a denunciar e ajude-o.
  •  Em casos de ciberbullying, é importante buscar diálogo com todas as partes envolvidas - autores, vítimas, pais/responsáveis e a escola, quando for o caso e quando for possível.
  •  Os pais podem ser responsabilizados judicialmente pelas agressões que os filhos cometem, porém o mais adequado é tentar resolver essa situação com diálogo e orientação, já que crianças precisam do cuidado dos adultos, de ambos os lados da questão.