Acesso à internet por crianças e adolescentes: dicas de como orientar.

Comportamento Online

Acesso à internet por crianças e adolescentes: dicas de como orientar.

Compartilhar

Uma questão que pode estabelecer conflito com crianças e adolescentes, é a proibição do uso de redes sociais. Através dos termos de uso, é possível identificar a faixa etária apropriada para cada site ou aplicativo (a maioria permite o acesso a partir dos 13 anos). Apresentar serviços que sejam adequados para a fase de desenvolvimento que os filhos se encontram, pode ser uma alternativa para que eles possam usufruir destas ferramentas, sempre tendo orientação sobre como utilizá-las.

Porém, quando seu filho já tem um perfil em alguma rede social, é fundamental acompanhar esta navegação, pois, vale lembrar que pais são responsáveis por tudo o que uma criança ou adolescente pratica na Internet, sendo este mais um motivo que intensifica a responsabilidade do acompanhamento.

Uma boa maneira de estabelecer limites com o seu filho sobre o ele que pode ou não fazer on-line, é definir um acordo com eles. É importante que isso seja realizado em conjunto, dialogando com eles sobre suas necessidades e responsabilidades. Veja algumas dicas que podem ajudar nesta conversa:

  • Negocie o tempo diário do acesso dos seus filhos online. Dessa forma, eles podem organizar os horários para estudos e outras atividades que também são prazerosas, como passear, estar com a família e amigos e praticar uma atividade física.
  • Oriente que eles tenham liberdade com responsabilidade, ou seja, não compartilhar qualquer imagem que eles podem se arrepender depois. A Internet não guarda segredo.
  • Ter um celular é uma grande responsabilidade. Atualmente, crianças pequenas já possuem os seus próprios dispositivos, com isso é importante que os pais orientem sobre como gerenciar o seu uso. Com os celulares, crianças e adolescentes podem: 
  • Ao acessar algum conteúdo que cause medo ou desconforto, solicite que eles conversem com você e busquem ajuda. Independente do que for vocês podem protegê-los sempre. 

Por fim, é fundamental ter a reflexão de que as crianças podem utilizar a Internet sim, porém de forma orientada e acompanhada pelos pais. Proibir o uso não educa e não previne. O importante é permitir o acesso com regras e limites negociados, para não privar os filhos desta importante tecnologia de comunicação, estudo, diversão e pesquisa. Seja assistindo TV, navegando na Internet ou jogando games, é importante a mediação dos adultos na prática dessas atividades. Vale lembrar que os pais são responsáveis por tudo o que uma criança ou adolescente pratica na Internet, e isso se torna mais um motivo que intensifica a responsabilidade do acompanhamento e da orientação.