Início

Home

Close
  • Crimes na Web

    / / Crimes na Web / Por julianacunha / 3 anos 5 meses atrás
    Seu comportamento também pode definir a segurança na rede com a consciência sobre as melhores escolhas e condutas online. Informe-se, denuncie, peça ajuda e divulgue o site. Participe conosco da criação de uma internet mais livre e mais segura para todos.

    Uma rede de organizações trabalha com o propósito de realizar orientação qualificada para que os internautas, especialmente crianças e jovens, desfrutem da web com liberdade e responsabilidade, promovendo ajuda em tempo real e disseminando informações sobre autocuidado e cidadania online. Ao mesmo tempo, oferecem canais diretos de denúncia contra crimes na web: os helplines de ajuda e os hotlines de denúncia. São organizações fundamentais para a construção de uma internet cada vez mais livre e segura para todos. No Brasil, o representante dessa rede de organizações é a SaferNet.

    Em parceria com outras instituições, autoridades policiais, promotores e procuradores da república, organizações internacionais e empresas do setor privado, a SaferNet promove ações de combate ao crime na web. A premissa do trabalho é disseminar a informação de que a vida online não difere da vida real, fora da internet. Os crimes cometidos na web são qualificados da mesma forma que os crimes fora da rede, pelas mesmas leis e com as mesmas punições. O trabalho da saferNet ajuda a interromper as práticas ilícitas também com a sua participação com denúncias ou pedidos que ajuda que contribuem para agilizar o processo no combate aos diferentes crimes da rede, buscando responsablizar os autores de crimes e ajudar a proteger à vítimas de violações online.

    Nesta área, você irá encontrar todas as informações de que precisa para saber identificar os diferentes crimes presentes na internet: pornografia infantil, racismo, homofobia, neonazismo, e aliciamento online são práticas ilícitas ainda com grande projeção na rede. Além dos canais Hotline de denúncia e Helpline de ajuda, a SaferNet orienta seu trabalho com o objetivo de despertar a consciência para as boas escolhas online e a melhor conduta a se adotar também na web por meio de conteúdo educativo e de fácil entendimento. Vale lembrar que é essa consciência que permite a todos saber do que se tratam os crimes e como eles acontecem na rede. Seu comportamento também pode definir a segurança na rede. Informe-se, denuncie, peça ajuda e divulgue o site. Participe conosco da criação de uma internet mais livre e mais segura para todos.

  • Exploração sexual infantil afeta todos nós

    Pornografia Infantil / Comunicação / Crimes na Web / Por admin / 10 meses 5 dias atrás

  • Privacidade online e a linguagem oculta da internet

    / / Privacidade / Por julianacunha / 3 anos 5 meses atrás

    Privacidade está relacionada com nosso direito de controlar os tipos de compartilhamento e uso das informações sobre nossas vidas, quem pode saber o que, e em quais condições. O direito a privacidade é um dos direitos humanos fundamentais para a dignidade humana e para a autonomia. Cada país e cada cultura têm seus limites e seus costumes relacionados aos limites entre aquilo que consideramos público e privado em cada contexto.

    Quando pensamos na Privacidade nos ambientes digitais temos muitos desafios, pois nem sempre é fácil saber o quão público ou privado é o ambiente. Na legislação brasileira o direito à privacidade está garantido, inclusive para crianças e adolescentes, dentro e fora das redes. Toda e qualquer violação da privacidade precisa ser legalmente justificada e com condições específicas e proporcionais às necessidades. 

    O grande desafio que enfrentamos na Internet é saber quem tem acesso à quais informações sobre nós, que usos fazem destas informações e quão públicas elas são. Na rede fica mais difícil de controlar quem poderá ver uma informação que publicamos, mesmo que nossa intenção seja mostrar apenas para nossos amigos ou familiares. Este desafio não está relacionado apenas às configurações de Privacidade dos sites de redes sociais que usamos.

    Para facilitar o entendimento sobre o direito à privacidade na rede é preciso entender o funcionamento básico das redes e as regras de uso dos sites que frequentamos. Informar-se sobre esses serviços é a melhor forma de se prevenir para uma navegação segura na web. O conhecimento permite que você tenha consciência sobre os riscos a que está exposto na rede e tome precauções para diminuí-los e evitá-los.

  • #InternetSemVacilo Preconceito e Intolerância

    Racismo, Homofobia / Comunicação / Crimes na Web / Por admin / 10 meses 5 dias atrás

  • Segurança digital

    / / Segurança Digital / Por julianacunha / 3 anos 5 meses atrás

    A segurança nos ambientes digitais apresenta-se como um desafio complexo. Podemos pensar em diferentes tipos e níveis de segurança - das preocupações com segurança nacional à proteção da senha pessoal no celular. Na sociedade da informação, proteger e cuidar desses dados é uma tarefa para todos. A internet é também um ambiente de produtos que são trocados, vendidos e negociados. Quando lembramos que a Internet das Coisas já é uma realidade, conectando não apenas pessoas, mas bilhões de objetos como redes, o desafio de conectar-se com segurança exige cada vez mais atenção. 

    O assunto também envolve cuidado com dados pessoais que deixamos em sites como redes sociais, de busca, nos milhões de emails e mensagens, sites de compras, nos programas de fidelidade, nos cartões de crédito e nos dispositivos móveis que concentram cada vez mais informações detalhadas sobre nossas vidas. Nunca pensamos a segurança como oposto de liberdade, mas como condição para que as liberdades das diferentes pessoas sejam respeitadas nos diferentes contextos nos quais nos relacionamos dentro e fora da rede. 

    Considerando o direito à segurança da informação como um dos direitos humanos que defendemos também na rede, a SaferNet oferece algumas dicas para preservar os direitos de proteção contra abusos e violações de privacidade ou das liberdades de expressão, e posicionamento sexual, religioso, político e de pensamento. O desafio é imenso, mas trabalhamos na construção de plataformas de informações para despertar a consciência dos internautas sobre a importância de saber fazer boas escolhas nos cliques diários na Internet.

  • Selfie

    / / Comportamento Online / Por julianacunha / 1 ano 6 meses atrás

    Selfie é representada por uma foto tirada por si mesmo e de si mesmo por uma câmera, ou dispositivo móvel, para ser compartilhada na web. Em 2013, o comportamento ficou tão popularizado, inclusive entre celebridades, que a Oxford escolheu selfie como a palavra do ano.

    Selfie é uma palavra em inglês incorporada no vocabulário online para representar uma foto tirada pela própria pessoa que aparece na foto e que é compartilhada na web. O neologismo que ganhou a rede tem origem no termo self-portrait, que significa autorretrato. A particularidade de uma selfie é que ela é tirada com o objetivo de ser compartilhada em uma rede social como Facebook, Orkut ou Myspace, por exemplo. Uma selfie pode ser tirada com apenas uma pessoa, com um grupo de amigos ou mesmo com celebridades.

    Em 2013, os responsáveis pelos dicionários da Oxford escolheram selfie como a palavra do ano. Um dos motivos para a escolha foi o fato de esta palavra ter crescido 17000% em 2013, o que confirma o seu estatuto de uma das palavras mais procuradas em um ano. Algumas selfies que são compartilhadas acabam aparecendo em sites de humor, porque as pessoas fazem caras engraçadas - mandando beijo, também conhecida como "duck face" ou cara de pato - ou porque alguma coisa estranha ou hilariante aparece em segundo plano. Isso pode representar uma situação constrangedora para quem prima pela privacidade, por isso, ao compartilhar fotos na web, o mais recomendável é adotar as configurações de privacidade dos sites de relacionamento social que restringem a visibilidade apenas para amigos e pessoas de sua confiança.

    A prática de tirar selfies ganhou popularidade global, e algumas tiveram milhões de visualizações. Alguns exemplos desses são a selfie tirada por um grupo de jovens com o Papa Francisco e a selfie tirada nos Oscars, onde aparecem várias estrelas de Hollywood, como Meryl Streep, Julia Roberts, Brad Pitt, Angelina Jolie. Uma selfie também pode estar no centro de uma polêmica, como é o caso da selfie tirada no funeral de Nelson Mandela, onde aparecem Barack Obama, David Cameron e Helle Thorning Schmidt. A atenção entra também para esses casos. 

    Quando for fazer uma selfie, recomenda-se que você avalie a situação em que se encontra e é importante considerar o comportamento social que ela envolve. Não há proibição, mas é importante considerar os aspectos que envolvem a foto que pretende compartilhar e as implicações sociais que ela pode gerar. Visto isso, você tem livre escolha sobre a publicação, mas feita com consciência.