SaferNet - Canal de Ajuda

No HelpLine você é atendido por um psicólogo, com respeito, anonimato, e estrito sigilo sobre tudo que for dito.

Perfil Helpline

Como podemos ajudar?

A SaferNet Brasil oferece o serviço de ajuda contra crimes e violações dos Direitos Humanos na internet com procedimentos efetivos e transparentes para encaminhar soluções. Além disso, contamos com suporte governamental, parcerias com a iniciativa privada, autoridades policiais e judiciais, além, é claro, de você usuário da internet. Nossa equipe de atendimento é formada por Psicólogos com treinamento adequado para atender, orientar e encaminhar denúncias, quando necessário. Caso esteja passando por alguma situação que ocasione danos a você, ou a terceiros, entre em contato conosco. Nós podemos ajudá-lo, orientá-lo e protegê-lo.

Privacidade e Segurança

Nosso canal mantém o sigilo (segredo) e confidencialidade de todas as informações fornecidas pelos usuários. As mensagens são acessadas apenas pela equipe de Psicólogos e só poderão ser reveladas às autoridades em situações de suspeita ou confirmação de grave violência contra crianças e adolescente, obedecendo o previsto no Art. 245 do Estatuto da Criança e Adolescente. Utilizamos técnicas de criptografia (segurança dos dados) para proteger suas informações. Como nenhum sistema de informática é 100% seguro, sugerimos:

  • Cuide da proteção de seu equipamento
  • Acesse de um local no qual se sinta seguro e com privacidade
  • Guarde bem sua senha e não divulgue

Infográfico

Os atendimentos são gratuitos e o número máximo de orientações pelo chat ou pelo e-mail é de 4 (quatro) encontros. A partir do segundo encontro, será preciso um termo de autorização dos pais para a continuidade da orientação de criança ou adolescente, conforme determina o Art. 8º do Código de Ética Profissional do Psicólogo.

Nossa equipe

Rodrigo Nejm (CRP 03/03745)
Psicólogo, mestre em Gestão e Desenvolvimento Social e doutorando em psicologia na UFBA. Atua na criação de materiais pedagógicos e pesquisas para prevenção aos cibercrimes contra Direitos Humanos no Brasil. Ministra cursos para educadores e operadores do direitos no âmbito dos aspectos psicossociais do combate e prevenção aos cibercrimes. Pesquisador na área de psicologia, novas mídias, infância, adolescência e sociabilidades.

Juliana Andrade Cunha (CRP 03/02783)
Psicóloga e Psicanalista. Mestre em Cultura e Sociedade pela Faculdade de Comunicação da UFBA. Tem experiência com acompanhamento psicológico de crianças e adolescentes e em docência no ensino superior, Dedica-se ao ensino e pesquisa de clínica psicanalítica, adolescência, Internet e sociabilidade.

Bianca Orrico (CRP 03/7756)
Psicóloga graduada pela Universidade Salvador (UNIFACS) e com formação em Psicanálise. Tem experiência no acompanhamento de crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social. Realizou pesquisas sobre adolescentes, redes sociais e tribos urbanas.

 

Nossa equipe respeita as regras do Código de Ética profissional do Psicólogo e as normas da Resolução 011/2012 do Conselho Federal de Psicologia. Se quiser mais informações sobre orientação psicológica on-line acesse o site do Conselho Regional de Psicologia e do Conselho Federal de Psicologia.

 

Sexting

Veja o infográfico com um passo-a-passo para quem teve imagens íntimas vazadas

Sexting é um exemplo de uso da Internet para expressão da sexualidade na adolescência. É um fenômeno no qual os adolescentes e jovens usam redes sociais, aplicativos e dispositivos móveis para produzir e compartilhar imagens de nudez e sexo. Envolve também mensagens de texto eróticas com convites e insinuações sexuais para namorado(a), pretendentes e/ou amigos(as). A palavra sexting já indica um gap entre o discurso adulto e a experiência dos jovens. Quando se pergunta aos adolescentes sobre sexting, nem sempre eles conhecem ou usam essa palavra.

É a junção da palavra sex (sexo) + texting (torpedo), tem origem inglesa e surgiu quando a Internet nem era 3G e as pessoas enviavam mensagens de texto por sms (Short Message Service) de caráter erótico e sexual, hoje as mensagens são através de fotos e vídeos por mms (multimedia messagem service).

Sexualidade e sexo não são a mesma coisa e precisamos perceber as diferenças para educar nossas crianças e os adolescentes sobre seus direitos sexuais sem confundir as coisas. Sexo, é uma das expressões da sexualidade já amadurecida que envolve a escolha de um(a) parceiro(a) e que pode acontecer a partir do desenvolvimento da puberdade, quando já conquistada certa maturidade psicológica.

Já a sexualidade está presente em todo o desenvolvimento do indivíduo, mas com características diferentes em cada etapa da vida. A sexualidade na criança, por exemplo, é muito diferente da sexualidade no adulto. Além das dicas e orientações sobre o Sexting na Cartilha SaferDicas, temos diversas notas aqui no site com o objetivo de estimular a discussão sobre sexualidade e Internet de forma mais ampla na escola ou em casa, com o educador ou com os pais. É preciso ter consciência da importância de haver diálogo sobre sexualidade desde a infância, sem repressão, com esclarecimento e orientação.

Sexting: diálogo é a melhor solução para evitar a exposição

Dicas para a família:

- Mantenha um dialogo aberto com seus filhos para conhecer o que fazem online e poder orientá-los. A sexualidade faz parte da educação e seus filhos precisam de orientações.

- Dialoguem sobre direitos sexuais, dúvidas e curiosidades para que seus filhos possam contar com vocês quando precisarem;

- Não confunda a capacidade técnica de seus filhos usarem a Internet e os celulares com a maturidade e capacidade crítica de interpretar e resolver situações de problema na rede;

- Proibir não educa nem previne, uma relação de confiança e muito diálogo ainda são as melhores tecnologias;

- Provoque conversas sobre a noção que seus filhos tem de privacidade e se entendem a dimensão pública dos ambientes digitais, reforçando que as leis valem na rede como valem na praça pública;

- Caso seus filho(a) seja vítima, não condene ou recrimine de imediato. O mais importante é acolher e proteger para minimizar a angústia da vergonha que sentem justamente em relação aos pais e amigos. É importante estar juntos não apenas para resolver racionalmente, mas principalmente para apoiar psicologicamnte neste momento de crise.

Para debater na escola:

- Dialogar sobre o que os alunos fazem e veem na Intenet;

- Propor às crianças e adolescentes uma reflexão e discussão dos limites da intimidade num espaço público como a Internet;

- Promover atividades que explorem as fronteiras do corpo de cada um, a imagem que se projeta dele, o que se pode mostrar e o que se deve proteger.

Sexting: como prevenir e quando denunciar?

A mediação tecnológica pode favorecer uma exposição maior do que aquela que é feita na interação presencial. Diante do computador ou do celular as crianças e adolescentes nem sempre percebem a dimensão da publicidade e exposição ao compartilhar uma foto ou um vídeo.

Em muitos casos a descoberta da sexualidade na adolescência conta com a ajuda de amigos nas redes sociais, de respostas obtidas nos buscadores e de conversas íntimas feitas com conhecidos virtuais. Estas práticas podem ser saudáveis desde que haja um histórico de orientações e diálogos prévios na infância – que permitem uma descoberta responsável e segura.

No Estatuto da Criança e Adolescente considera-se crime produzir e armazenar fotografias ou imagens pornográficas e de sexo explícito de menores de 18 anos - "Art. 241. Apresentar, produzir, vender, fornecer, divulgar ou publicar, por qualquer meio de comunicação, inclusive rede mundial de computadores ou internet, fotografias ou imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente". Portanto, havendo imagens com este teor, cabe formalizar uma denúncia.

Se o conteúdo for acessível publicamente, denuncie preenchendo o formulário na página de denúncia da Safernet. Solicite formalmente a remoção do conteúdo ilegal ao prestador de serviço responsável por hospedá-lo, através de uma carta, neste link você encontra um modelo.

Se não for um conteúdo acessível publicamente, e-mail, P2P, páginas privadas, preserve todas as provas, procure a Delegacia de Polícia Civil mais próxima do local de residência da vítima e registre a ocorrência. Você também pode ir a uma Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos.

Perguntas e respostas sobre Sexting

O que pode acontecer?

Uma vez que você pressiona ‘enviar’, ele não está mais em seu controle. Ele pode ser publicado em qualquer lugar na internet e acabar em sites pornográficos

Quem pode ver isto?

Não envie qualquer coisa que você não gostaria que seus pais, professores ou amigos vissem. Mesmo se você confiar completamente em alguém, as pessoas que utilizam o seu telefone pode acidentalmente vê-lo.

Quais são os riscos?

Mesmo se você usar um aplicativo como o Snapchat ou webcam - a pessoa pode tirar uma captura de tela em segundos.

Para quem você está enviando?

Você se sentiria estranho se você estivesse fazendo algo sexual pessoalmente? Você seria capaz de ter uma conversa sobre sexo com essa pessoa?

Por que você deseja enviá-lo?

Se você quer impressionar alguém, faça de outras maneiras. Na maioria dos casos, essa postura pode ter o efeito oposto e você corre o risco de ser visto como alguém que você não é.

O prazer e o perigo do Sexting

Sabe-se que uma das fontes de prazer sexual é o olhar, então compartilhar essas imagens excita sexualmente as pessoas, é prazeroso. Mas o sexting expõe ao abrir espaço para a divulgação indevida de imagens. O diálogo e orientação é a melhor solução para prevenir os jovens.

Sabe aquelas brincadeiras que aconteciam atrás do muro da escola, embaixo da escada do condomínio? São os jogos sexuais próprios da adolescência, de quem está vivenciando as primeiras experiências de prazer com outros parceiros. Quem nunca se envolveu em brincadeiras e jogos sexuais com amigos da escola, vizinhos? Pois é, hoje a escada do prédio e o muro da escola estão na Internet e esses jogos ganharam o novo nome de sexting.

O que é preocupante no sexting não é a prática em si, mas sim o que pode acontecer depois. O usuário perde o controle sobre a imagem de si. Imagens de sexo e nudez tem efeito viral, rapidamente se distribui e pode parar em sites de pornografia adulta, inclusive no exterior.

Essas imagens podem permanecer anos na Internet, e aparecer vinculadas ao nome do/a envolvido/a. O que significa que depois de anos, ainda assim os envolvidos respondem pelo o que aconteceu. Isso pode ter repercussão numa entrevista de emprego, para o novo parceiro e possivelmente quando tiver filhos.

Então para quem passou por isso, vale...

- Ter apoio dos amigos e família. Isso ajuda a superar momentos difíceis e evitar que situações piores ou desfechos trágicos aconteçam;

- Não se culpar. O responsável foi quem compartilhou;

- Buscar ajuda profissional. Se o sofrimento e a dor for maior do que pode suportar.

Educação sexual é um Direito Humano

Todos os adolescentes e jovens têm direito de acesso à informação e à educação sexual com educação focada em ética e respeito nas relações de amizade e intimidade. Considerar o contexto e as particularidades dos envolvidos, punição é o último recurso.

Falar sobre sexualidade na infância não é incentivar o sexo, é informar e orientar para o desenvolvimento sexual saudável. O que diz a lei?

É considerado crime de pornografia infantil:

Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

O Marco Civil da Internet, que estabelece os direitos e os deveres para quem usa a rede, diz no artigo 21 que em casos de conteúdos de nudez e sexo não autorizados, a vítima pode solicitar remoção diretamente aos provedores de aplicações na Internet.

"O provedor de aplicações de internet que disponibilize conteúdo gerado por terceiros será responsabilizado subsidiariamente pela violação da intimidade decorrente da divulgação, sem autorização de seus participantes, de imagens, de vídeos ou de outros materiais contendo cenas de nudez ou de atos sexuais de caráter privado quando, após o recebimento de notificação pelo participante ou seu representante legal, deixar de promover, de forma diligente, no âmbito e nos limites técnicos do seu serviço, a indisponibilização desse conteúdo." (Art. 21 da Lei 12.965).

Todos os adolescentes e jovens têm direito de acesso à informação e à educação sexual. É dever garantir serviços de orientação e atendimento a adolescentes e jovens antes de sua atividade sexual, para ajudá-los a lidarem com a sua sexualidade de forma positiva e responsável, incentivando comportamentos de autocuidado. Você encontra mais orientações sobre o Sexting na Cartilha SaferDicas.

Responsabilidade, consequências e reputação

O mais preocupante do sexting não é a prática em si, mas o que pode acontecer depois. Saiba aqui algumas das consequências possíveis dessa brincadeira e faça suas escolhas a partir dessa consciência.

- O usuário perde o controle sobre a imagem de si.

- Imagens de sexo e nudez tem efeito viral, rapidamente se distribui e pode parar em sites de pornografia adulta no exterior.

- Essas imagens podem permanecer anos na Internet, pode aparecer vinculado ao nome do envolvido. O que significa que depois de anos, ainda assim os envolvidos respondem pelo que aconteceu, numa entrevista de emprego, para o novo parceiro e possivelmente quando tiver filhos.

- Algo a se pensar que no futuro próximo, essa geração de hoje terá filhos que verão os pais nus ou fazendo sexo na Internet, será que vai ser natural?

#FiqueAtento

- Infelizmente não são apenas nossos amigos que podem ter acesso ao que divulgamos online;

- Atuais e futuros colegas de escola e de trabalho, parentes, inimigos, estranhos e até criminosos podem ver, copiar e manipular o que você divulga na Internet para, no futuro, usar isso contra você;

- Uma vez online, perdemos completamente o controle da foto ou texto que publicamos;

- Podem parecer brincadeiras inocentes, mas este tipo de mensagem sensual coloca nossa privacidade em risco;

- Estas fotos podem dizer muito sobre sua vida para pessoas que você nem gostaria de conhecer;

- Jamais se deixe levar por pressões para produzir ou publicar imagens sensuais;

- Tudo o que fazemos online tem conseqüências também fora da Internet. Pense muito bem antes de publicar;

- Quando tiver dúvidas em relação aos comportamentos sexuais, procure conversar com seus pais e amigos(as) de confiança antes de se expor pela Internet;

- Não há nada de errado em falar e discutir sobre sexualidade. O erro é não se proteger e não se informar sobre como manter relações saudáveis dentro e fora do ciberespaço;

- Proteja seus direitos sexuais e não facilite agressões;

Existem leis que protegem a vítima de vazamento de imagens íntimas?

Se você tem (tinha) 17 anos ou menos quando as fotos foram registradas, existe a Lei 11.829.

Se as fotos foram publicadas sem o seu conhecimento ou consentimento, artigo 21 do Marco Civil da Internet, "O provedor de aplicações de Internet que disponibilize conteúdo gerado por terceiros será responsabilizado subsidiariamente pela violação da intimidade decorrente da divulgação, sem autorização de seus participantes, de imagens, vídeos ou outros materiais contendo cenas de nudez ou de atos sexuais de caráter privado quando, após o recebimento de notificação pelo participante ou seu representante legal, deixar de promover, de forma diligente, no âmbito e nos limites técnicos do seu serviço, a indisponibilização desse conteúdo". Ou seja, é possível solicitar a retirada de um conteúdo não autorizado a partir da nova lei vigente no Brasil.

Se o autor da publicação invadiu algum dispositivo informático ou outros bens pessoais e roubou as fotos: Lei 12.737

Se você já tem uma ordem de restrição contra o agressor: Lei 11.340

Mesmo que as situações citadas não se apliquem a você, é aconselhável que busque orientações jurídicas com um advogado ou defensor público para avaliar qual a medida ideal para o seu caso. Estes profissionais podem auxiliá-la (o) sobre como é possível proceder. Grave todas as possíveis provas (screenshots de todos os resultados de pesquisa do Google e todos os sites que têm suas fotos) para serem apresentadas as autoridades competentes.

  1. Para quais situações o Helpline pode me ajudar?
  2. Sou adulto, posso ser atendido pelo Helpline?
  3. Sou adulto, fui ofendido ou fizeram um perfil falso com meu nome na Internet. O helpline pode me ajudar?
  4. Posso fazer uma denúncia pelo canal do Helpline?
  5. Fui enganado por um site de vendas na Internet. Posso recorrer ao Helpline?
  6. Recebi uma mensagem por e-mail com vírus, o Helpline pode me ajudar?
  7. Recebi um e-mail solicitando meus dados e fui vítima de fraude. O Helpline pode me ajudar
  8. Sou criança ou adolescente e estou muito triste, mas não é nada relacionado a Internet. Posso procurar ajuda no Helpline?
  9. Meu relacionamento acabou. Posso pedir orientação no Helpline?
  10. Não estou conseguindo acessar meu e-mail. O Helpline pode me ajudar?
  11. Estou com dificuldade para usar um jogo. Posso pedir orientação no Helpline?
  12. Não estou conseguindo acessar meu perfil numa rede social (Facebook, Twitter e etc). Posso procurar ajuda no Helpline?

1. PARA QUAIS SITUAÇÕES O HELPLINE PODE ME AJUDAR?

Se você é criança ou adolescente, o helpline pode te ajudar a esclarecer dúvidas, dar dicas e orientar o que pode ser feito em situações de risco na Internet, como por exemplo, se foi agredido ou presenciou uma agressão, se foi forçado ou exposto a imagens e conteúdos violência ou se está com medo ou desconfiado de um amigo virtual e etc. Se você é pai ou professor, o helpline pode sugerir ações e dicas de como educar filhos a alunos a navegarem de forma segura na Internet.

2. SOU ADULTO, POSSO SER ATENDIDO PELO HELPLINE?

O Helpline é um serviço para crianças e adolescentes ou em benefício delas. Se tiver alguma dúvida, acesse a faqs ou seção de prevenção do portal da Safernet Brasil.

3. SOU ADULTO, FUI OFENDIDO OU FIZERAM UM PERFIL FALSO COM MEU NOME NA INTERNET. O HELPLINE PODE ME AJUDAR?

Não. Crimes de ameaça (art. 147 do Código Penal); calúnia (art. 138 do Código Penal); difamação (art. 139 do Código Penal); injúria (art. 140 do Código Penal); falsa identidade (art. 307 do Código Penal) são crimes cuja ação penal é privada ou pública condicionada a representação, e depende, por determinação legal, do registro de uma queixa-crime que deve ser formalizada perante uma autoridade policial. Reforçamos a orientação de NÃO RESPONDER nenhuma mensagem e GRAVAR sempre as possíveis provas. Elaboramos um roteiro para orientar os usuários que foram vítimas destes tipos de crime.

4. POSSO FAZER UMA DENÚNCIA PELO CANAL DO HELPLINE?

Não. O Helpline.br é um canal de informações e orientações, nós não recebemos denúncias. Se você quiser denunciar alguma página na Internet que viole os direitos humanos, acesse Denuncie.org.br.

5. FUI ENGANADO POR UM SITE DE VENDAS NA INTERNET. POSSO RECORRER AO HELPLINE?

Não. O Helpline.br não orienta situações de estelionato ou problemas com compras na Internet. Recomendamos que, antes de comprar algo pela Internet, você verifique se o site é confiável e reconhecido por outros usuários. Se for um site de anúncios ou leilões, verifique as qualificações do vendedor feitas por outros compradores. Lembre-se também que, ao negociar com uma pessoa física, através de redes de relacionamentos ou mensageiro instantâneo, não há nenhuma prova da confiabilidade do contato, que pode fornecer dados falsos. Procure meios de verificar se os endereços, números de telefone e contas bancárias realmente pertencem às pessoas apontadas.

6. RECEBI UMA MENSAGEM POR E-MAIL COM VÍRUS, O HELPLINE PODE ME AJUDAR?

Não. Apenas orientamos crianças e adolescentes em situação de perigo ou violência na Internet. Para esclarecimentos sobre este tipo de golpe por email, por favor, acesse http://www.antispam.br/

7. RECEBI UM E-MAIL SOLICITANDO MEUS DADOS E FUI VÍTIMA DE FRAUDE. O HELPLINE PODE ME AJUDAR?

Não. Sugerimos que você forneça o mínimo de informações pessoais na Internet para se proteger de golpes e roubos de dados e sempre desconfie de ofertas e promoções mirabolantes.Muitas tentativas de fraude utilizam técnicas de phishing scan para coletar informações privadas do usuário, como senhas de banco e números de cartão de crédito. Existe um banco nacional de phishing mantido e atualizado pela RNP que pode ser consultado.

8. SOU CRIANÇA OU ADOLESCENTE E ESTOU MUITO TRISTE, MAS NÃO É NADA RELACIONADO A INTERNET. POSSO PROCURAR AJUDA NO HELPLINE?

Este canal tem como objetivo principal orientar e ajudar crianças e adolescentes que estão vivendo alguma dificuldade na Internet. Se você está com algum problema que está te deixando triste, sugerimos que você busque ajuda de um adulto de confiança para falar sobre o que está acontecendo, assim eles poderão te ajudar. Existe um helpline chamado 123Alô, você pode acessá-lo pelo endereço www.123alo.org.br ou se você mora no Rio de Janeiro pode ligar 0800 0 123 123.

9. MEU RELACIONAMENTO ACABOU. POSSO PEDIR ORIENTAÇÃO NO HELPLINE?

Se o término do namoro está relacionado com alguma situação de constrangimento/vergonha ou violência na Internet, você pode procurar orientações no Helpline.

10. NÃO ESTOU CONSEGUINDO ACESSAR MEU E-MAIL. O HELPLINE PODE ME AJUDAR?

Não. Você pode buscar no serviço de email que utiliza um link de "configurações" ou "ajuda", para que você tenha informações sobre o que pode estar acontecendo. Se você não conseguir solucionar o problema, fale com um adulto de confiança para que el@ possa te ajudar.

11. ESTOU COM DIFICULDADE PARA USAR UM JOGO. POSSO PEDIR ORIENTAÇÃO NO HELPLINE?

Se sua dificuldade está relacionada a alguma situação de constrangimento/vergonha ou violência na Internet, você pode procurar orientações no Helpline. Se não, você pode buscar no serviço que utiliza um link de "configurações" ou "ajuda", para que você tenha informações sobre o que pode estar acontecendo. Se você não conseguir solucionar o problema, fale com um adulto de confiança para que el@ possa te ajudar.

12. NÃO ESTOU CONSEGUINDO ACESSAR MEU PERFIL NUMA REDE SOCIAL (FACEBOOk, TWITTER E ETC). POSSO PROCURAR AJUDA NO HELPLINE?

Não. Você pode buscar informações no próprio site da rede social que utiliza. Se você usa Facebook, acesse o link http://www.facebook.com/help/. Caso precise de ajuda com o Twitter, acesse https://support.twitter.com/ para tentar solucionar seu problema.

Sobre

Perfil Helpline

9.577 pessoas atendidas
pelo Helpline
desde 2007

24 estados do Brasil

Somos um canal gratuito que oferece orientação de forma pontual e informativa para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da Internet e também orientar crianças e adolescentes e/ou seus próximos que vivenciaram situações de violência on-line como humilhações, intimidações, chantagem, tentativa de violência sexual ou exposição forçada em fotos ou filmes sensuais.

Indicadores / Helpline

Sexting
A conversa foi importante?
Procuraria o canal novamente?